segunda-feira, 30 de abril de 2012

Perfil: Ana Carolina


Dona de uma das mais belas vozes da MPB, a mineira Ana Carolina emplacou vários sucessos nesses 14 anos de carreira, que renderam prêmios importantes como o Troféu Imprensa, o Prêmio TIM de Música e o Prêmio Multishow de Música Brasileira.
Ouvindo grandes nomes da música como Chico Buarque, Caetano Veloso e Maria Bethânia desde a infância, começou a se interessar por música aos 12 anos, quando inspirada pelo também mineiro João Bosco, aprendeu a tocar violão sozinha. Profissionalmente, ela começou a cantar clássicos de Ary Barroso, Tom Jobim e Chico Buarque e outros em barzinhos de Juiz de Fora aos 18 anos.
Entre suas músicas mais famosas estão Garganta, Quem de nós dois, É isso aí, Elevador, Encostar na tua, Uma louca tempestade, Rosas, Vai, Carvão e Problemas, que recentemente fez parte da trilha sonora da novela Fina Estampa (Para ver o post sobre a música problemas, clique aqui: http://vitrinempb.blogspot.com.br/2012/02/sobe-o-som-problemas.html).

  

As mulheres de Dorival Caymmi


Hoje, um dos melhores compositores de música brasileira faria 98 anos: Dorival Caymmi, o eterno soteropolitano que se inspirava em sua terra natal na hora de compor canções, que retrataram com maestria os hábitos e tradições do povo baiano.
O primeiro grande sucesso de Caymmi – que viria colecionar vários em seus 74 anos de carreira – foi O que é que a baiana tem?, de 1939, que se tornou um dos maiores sucessos de Carmen Miranda (Para ver o post que eu fiz sobre essa música, clique aqui: http://vitrinempb.blogspot.com.br/2012/02/dica-de-quinta-o-que-e-que-baiana-tem.html).
Entretanto, o que esteve muito presente em suas composições foram os nomes de mulheres, como Clara, Gabriela (que foi até trilha sonora de novela), Francisca, Dora, Nastácia, Maricotinha, Doralice e Marina, que é uma das que eu acho mais bonitas por gostar muito desse nome.
Além dessas, Só Louco, João Valentão, O samba da minha terra, Acalanto e Saudade da Bahia são outras das várias músicas do compositor baiano que são lembradas até hoje devido ao sucesso que fizeram quando foram lançadas.
E agora, uma curiosidade: mesmo homenageando tantas mulheres ao batizar suas composições com os nomes delas, Caymmi nunca batizou uma canção com o nome de sua filha, Dinair, que é uma das melhores cantoras da geração dos Festivais de MPB e que faz muito sucesso até hoje, com o nome de Nana Caymmi. Além dela, ele é pai de Danilo e Dori, que também são cantores.

domingo, 29 de abril de 2012

Redescobrindo Gonzaguinha


Hoje, faz 21 anos que morreu um dos melhores e mais corajosos compositores brasileiros das décadas de 70 e 80: Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, mais conhecido como Gonzaguinha.
Filho do eterno rei do baião, ele teve capacidade suficiente para se consagrar como um dos grandes nomes da música longe da sombra do pai, que até hoje é uma lenda da música brasileira. Entretanto, apesar do indiscutível sucesso do “Gonzagão”,  na verdade é o Gonzaguinha quem é mais lembrado na hora de utilizar músicas em trilhas sonoras de novelas.
Dentre as suas composições, várias foram censuradas durante a Ditadura Militar por serem bem críticas ao governo, postura essa que ele continuou mantendo mesmo após o fim do regime militar no Brasil, já que a política continuou a mesma sujeira de sempre, só que agora atendendo pelo nome de democracia.
Entre as músicas desse compositor que se tornaram bastante famosas estão grandes sucessos como Começaria tudo outra vez, É, O que é o que é?, E vamos à luta e Redescobrir.





sábado, 28 de abril de 2012

Crítica da Semana: Arquivo N - Rita Lee



Por conta da data de lançamento do novo CD de Rita Lee que se aproxima, na última quarta – feira, 25, o canal Globo News exibiu uma edição do programa Arquivo N sobre a vida da cantora mais irreverente da música brasileira.
Apresentando algumas da entrevistas que a cantora concedeu nos últimos 45 anos de carreira e trechos de especiais dela como o Série Grandes Nomes, exibido pela Rede Globo em 1980, a edição do programa pecou por deixar de dar a atenção necessária a algumas músicas que fizeram de Rita Lee uma cantora consagrada.
Entre as músicas que simplesmente não apareceram e que senti bastante falta por serem marcantes na carreira de Rita Lee estão Chega Mais, Tititi (que inclusive foram temas de abertura de novelas famosas da própria Globo), Agora Só Falta Você e Ovelha Negra (responsáveis pela volta da cantora ao estrelato depois dos tempos difíceis que sucederam sua saída do grupo Os Mutantes), Alô Alô Marciano (que será sempre lembrada na voz de Elis apesar de ter sido composta por Rita), Cor de Rosa Choque, Todas as mulheres do mundo e Pagu (praticamente hinos de exaltação à figura da mulher).
Contudo, alguns pontos que deveriam ser tratados de forma mais profunda por terem sido determinantes para o reconhecimento de Rita como um grande nome da música não foram lembrados, como a importância do grupo Os Mutantes, o início da carreira em 1967 cantando Domingo no Parque com Gilberto Gil (e não 1968 como diz o programa) e o sucesso de Lança Perfume, em 1980.
Entretanto, mesmo com essas gafes, ainda assim vale à pena assistir ao programa, já que fala bastante sobre Rita e Roberto de Carvalho enquanto casal (um ponto alto do programa, porque geralmente só se fala da parceria musical e não do relacionamento amoroso deles) e também falam um pouco do CD Reza, que será lançado no dia 7 de maio. 

Viva reprisa Som Brasil que homenageou Vinícius de Moraes

Apresentado por Patrícia Pillar, o programa em homenagem ao poetinha foi o primeiro da 5ª temporada a ser exibido, em 27 de abril de 2007.
Entre as músicas que serão interpretadas no programa estão sucessos inesquecíveis como Água de Beber, Orfeu da Conceição (o início da parceria com Tom Jobim, uma das maiores da história da música), A felicidade, Chega de Saudade e a mundialmente conhecida Garota de Ipanema.
E para relembrar grandes clássicos desse grande diplomata, compositor e poeta carioca, o programa contará com a participação de Gal Costa, Chico Pinheiro e Ed Motta.
O Som Brasil vai ao ar hoje, às 23h, e será reprisado amanhã, às 18h, no Viva.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Nova temporada do Som Brasil estreia daqui a pouco


Depois de alguns meses fora do ar, o primeiro Som Brasil da temporada 2012 vem com novo formato. Diferentemente das outras temporadas, nas quais eram homenageados cantores ou compositores famosos, agora o programa irá focar em movimentos e gêneros que foram importantes nas mais variadas épocas e que marcaram a história da música brasileira.
Apresentado por Camila Pitanga, o Som Brasil,  que hoje homenageará a música nordestina dos anos 70 e contará com a presença de Elba Ramalho e Geraldo Azevedo, vai ao ar nessa madrugada, às 01:40, na Rede Globo. 

Repeteco: Quando Gira o Mundo

Lançada no LP Fábio Jr, de 1985, a música fez tanto sucesso que até hoje esse LP do cantor é chamado de Quando Gira o Mundo.
Em 2002, a música fez parte da trilha sonora da novela Marisol, que está sendo reprisada de novo pelo SBT desde março.


quinta-feira, 26 de abril de 2012

Dica de Quinta: Velha Infância

Uma das mais famosas músicas dos Tribalistas até hoje, Velha Infância fez parte do primeiro CD do grupo, lançado em 2002 e que também se chamava Tribalistas, do qual a música foi o 2° single a ser divulgado.
Composta por Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Marisa Monte (integrantes do Tribalistas), Pedro Baby e Davi Moraes, a música foi escolhida para ser trilha sonora do casal interpretado por Erik Marmo e Carolina Dieckmann, personagens  da novela Mulheres Apaixonadas, exibida em 2003 pela Rede Globo.  

domingo, 22 de abril de 2012

Sobe o Som: Reza

Composta por Roberto de Carvalho e Rita Lee, a música é o mais novo single da cantora e faz parte de seu novo cd, único de inéditas da eterna rainha do rock nos últimos 9 anos.
Pelo fato de ser o primeiro cd após o anúncio de aposentadoria dos palcos e da prisão de Rita no último show que realizou, em Sergipe, esse talvez seja o disco mais aguardado da cantora, pois podemos supor que surgirão muitas indiretas nas 14 faixas do cd.
Aliás, nem tinha como ser diferente. A própria música que dá nome ao cd, Reza, e que foi lançada pouco depois do acontecido, pareceu uma insinuação de que há pessoas que enviam energias negativas à cantora e sentem muita inveja dela.

sábado, 21 de abril de 2012

Repeteco: Estou Apaixonado


Conhecida nacionalmente na voz da dupla João Paulo e Daniel, a música primeiramente estourou no país em sua versão original, na voz de Donato e Estéfano, quando embalava as cenas do personagem Igor, da novela Explode Coração, exibida pela Globo entre 1995 e 1996.
Entretanto, apesar do enorme sucesso que a música fez quando foi lançada, a versão de João Paulo e Daniel, de 1997, também é marcada até hoje por ter sido o último grande sucesso deles como dupla, pois João Paulo morreu ainda no ano de 1997.
Em 2001, essa música fez parte da trilha sonora da novela Pícara Sonhadora, que foi um marco na história da teledramaturgia do SBT por ter sido a primeira novela produzida pela emissora em parceria com a mexicana Televisa.

Som Brasil homenageia Braguinha


Exibido originalmente pela Rede Globo em 21 de Setembro de 2010, o programa apresentado por Camila Pitanga contou com a presença de Emilio Santiago e outros cantores da nova geração da música brasileira para relembrar as principais canções de Braguinha
Entre os maiores sucessos desse grande cantor e compositor carioca, que morreu em 2006, estão músicas realmente inesquecíveis, como Chiquita Bacana, Balancê e Carinhoso.
O Som Brasil em homenagem a Braguinha vai ao daqui a pouco, às 23h e será reprisado amanhã, às 18h, no Viva.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Dica de Quinta: Ex My Love

Composta pelo cantor e compositor Antonio Veloso Dias e interpretada por Gaby Amarantos, também conhecida como a “Beyoncé do Pará”, a música é o tema de abertura novela da Globo que estreou essa semana, Cheias de Charme.
Considerada a musa do tecnobrega, ritmo que ela ajudou a difundir pelo Brasil e que e faz muito sucesso na região norte do país, a cantora paraense foi uma das inspirações dos autores da atual novela das 7 para compor a vilã da história, uma cantora brega interpretada por Cláudia Abreu.
A música, que se parece bastante também com a história das três protagonistas da história, Taís Araújo, Leandra Leal e Isabelle Drummond, parece o desabafo de uma mulher que sofreu uma grande decepção amorosa, provocada por um homem que não tem um pingo de caráter.


terça-feira, 17 de abril de 2012

Música no Cinema: Titanic


No mês em que o naufrágio do Titanic completa 100 anos, não faria o menor sentido essa coluna falar de outro filme, até porque foi um dos maiores sucessos da indústria cinematográfica dos últimos anos.
Protagonizado por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet em 1997, o filme foi um sucesso de crítica e bilheteria, tanto que ganhou 11 Oscars e permaneceu com o título de maior arrecadação da história durante 12 anos, perdendo o posto para uma produção também dirigida por James Cameron, Avatar.
Como eu já falei na coluna Na Minha Estante, a música My Heart Will Go On, interpretada por Celine Dion, se tornou mundialmente conhecida depois desse filme, sendo considerada uma das mais chatas da história. (Para ler a coluna Na Minha Estante, clique aqui: http://vitrinempb.blogspot.com.br/2012/04/na-minha-estante-my-heart-will-go-on.html)

domingo, 15 de abril de 2012

Na Minha Estante: My Heart Will Go On



Há exatos 100 anos, o mundo presenciou uma das maiores tragédias marítimas da história: o naufrágio do Titanic. 85 anos depois desse trágico acidente, que matou mais de 1.500 pessoas, Leonardo DiCaprio e Kate Winslet foram os protagonistas de mais um filme que conta a história do transatlântico “que nem deus seria capaz de afundar”.
Curiosamente, entre as cenas dessa história tão dramática, houve espaço para que uma música se destacasse de tal forma que até hoje é imediatamente associada ao filme: sim, eu estou falando da inesquecível My Heart Will Go On.
Composta por James Horner e Will Jennings, foi lançada por Celine Dion em seu álbum Let’s talk about me, de 1997, alcançando rapidamente o topo de várias paradas musicais do mundo nos primeiros meses de 1998. Inicialmente, essa música seria apenas instrumental e tocaria em cenas do Titanic, pois o diretor do filme, James Cameron, não queria uma música com vocais e nem Celine Dion queria gravá-la, tendo que ser convencida por seu marido a gravar pelo menos uma fita demo.
Entretanto, essa popularidade mundial da música gera controvérsias até hoje, pois em 2007, foi considerada pela Revista Rolling Stone a 4ª canção mais irritante da história da música e 11ª mais irritante pelo site do jornal inglês The Sun. Além disso, a própria protagonista do filme, Kate Winslet, disse recentemente em uma entrevista que fica com vontade de vomitar quando ouve essa música, que a persegue até hoje em todos os lugares em que vai.      

Crítica da Semana: Para Nossa Alegria: quando a brincadeira passa dos limites...


Nas últimas semanas, o vídeo Para Nossa Alegria se tornou a mais nova coqueluche da internet, o que rendeu milhares de fãs para o trio, um contrato com a Pepsi, o lançamento de uma nova canção e, como se não bastasse, eles também vão lançar um CD em breve.
Quando esse tipo de coisa que aparece na internet e faz sucesso instantâneo, que também é conhecido pela alcunha de “meme” é um bom momento para refletirmos a situação atual da música do país, cuja qualidade cada vez fica pior e o povo passa a ouvir mais ainda.
É até triste dizer isso, mas enquanto esse vídeo tosco, cujos “intérpretes” não tem a menor afinação e a letra não tem o menor sentido está fazendo tanto sucesso, há cantores de qualidade que estão há anos tentando ter seus trabalhos reconhecidos e não conseguem porque a população está preocupada com músicas do calibre de Para Nossa Alegria, Ai Se Eu Te Pego, Balada, Eu quero Tchu, Eu quero Tcha e outras que não trazem nada de interessante na letra. E como se isso não bastasse, ainda tem aqueles que já são reconhecidos, mas que perdem espaço para esses “poetas do século XXI”.
Chega a ser deprimente comparar a música das décadas passadas, na qual os compositores se preocupavam em mostrar posicionamento político e expressar sentimentos, com a que podemos ouvir agora nas rádios, pois as músicas de hoje podem ter tudo o que for, menos conteúdo... 

Viva reprisa Som Brasil de Toquinho


Exibido originalmente em 27 de agosto de 2010, o Som Brasil em homenagem a Toquinho contou com a presença de ilustres convidados, como Paulo Ricardo, Mallu Magalhães, Marcelo Camelo e outros para interpretar grandes clássicos desse grande cantor e compositor paulista.
Além disso, o próprio Toquinho vai ao palco do Som Brasil relembrar grandes sucessos de sua carreira, como Tarde em Itapoã, Sei lá, Que Maravilha e a inesquecível Aquarela.
A reprise do Som Brasil em homenagem a Toquinho vai ao ar hoje, às 18h, no Viva.  

sábado, 14 de abril de 2012

Repeteco: De Volta Pro Aconchego

Composta por Dominguinhos e Nando Cordel, De Volta Pro Aconchego foi lançada em 1985, no LP Fogo e Mistura, de Elba Ramalho. No mesmo ano, ela fez parte da trilha sonora da lendária novela Roque Santeiro e, devida a absurda popularidade que essa novela teve e também pelo fato de ser justamente  o tema do personagem – título, essa música acabou se tornando o maior sucesso da carreira de Elba Ramalho até hoje.
Para quem quiser conferir a música embalando as cenas do personagem Roque Santeiro, a novela, que está em suas últimas semanas de reprise, passa de segunda à sexta – feira, ás 0h15 e é reprisada ao meio – dia, no Viva.


sexta-feira, 13 de abril de 2012

Dica de Quinta: O Leãozinho

Dentre as várias boas composições de Caetano Veloso, é uma das músicas que eu mais gosto, talvez por assistir durante algum tempo as reprises de Bambaleão e Silvana, programa do qual esse era o tema de abertura. Lançada em 1977, essa música, que faz parte do LP Bicho, foi um sucesso tão grande que ganhou até um videoclipe no Fantástico.
Durante algum tempo, dizia-se que ele havia composto essa música para alguma mulher, mas, curiosamente, essa música foi escrita para homenagear um grande amigo dele, o contrabaixista Dadi, que fez parte dos Novos Baianos, do Barão Vermelho e também dos Tribalistas. A razão pela qual Caetano se refere a ele como leãozinho é porque, assim como o compositor baiano, ele também é do signo de leão.
Agora, uma curiosidade: Essa foi uma das músicas que ele cantou em com Maria Gadú no CD e DVD Multishow ao vivo, gravado em novembro de 2010






sábado, 7 de abril de 2012

Crítica da Semana: Já não se fazem mais prêmios como antigamente ou os concorrentes é que não são bons?



Nas últimas duas semanas, foram ao ar dois dos principais prêmios de televisão do país: o clássico Troféu Imprensa, transmitido pelo SBT, e o Melhores do Ano, da Rede Globo. Como o foco deste blog não é televisão, comentarei somente as premiações da categoria de música.
Primeiramente, quero deixar aqui registrada aqui a minha total perplexidade e revolta com a indicação de Roberto Carlos para melhor cantor de 2011 no Troféu Imprensa. Gente, em que ano essas pessoas que votam nele vivem, em 1970? Tenha dó né. Além de esse cara não ter voz nenhuma, ele canta as mesmas músicas desde que eu me entendo por gente. Só que, claro, como desgraça pouca é bobagem, não bastava ele ser indicado, tinha que ganhar com unanimidade. Sinceramente eu não sei dizer o que é pior, se é a indicação do público ou os jurados rasgando seda e chamando-o de “Rei” na bancada no Troféu Imprensa...
Das três péssimas indicações para essa categoria, apesar de atual música dele que faz sucesso ser ridícula e totalmente desprovida de conteúdo, quem deveria ter vencido era o Michel Teló, pois infelizmente foi quem mais se destacou no ano passado...
Além disso, indicar Calypso e Rebelde como melhor conjunto musical só pode ser brincadeira também, porque se ainda fosse o RBD original, mesmo tendo muita gente que os odiassem, até estaria tudo bem porque eles foram um verdadeiro sucesso entre os adolescentes, mas esse grupo da versão brasileira que a Record está fazendo não conseguiu tanto destaque assim e nem de longe lembra o RBD nos seus áureos tempos.
Acredito que as únicas categorias que realmente tiveram vitórias aceitáveis foram as de melhor dupla sertaneja e melhor cantora, pois Paula Fernandes realmente se destacou muito no ano passado e Victor & Léo até que é uma boa dupla sertaneja. (Aliás, que papelão ficarem criticando o Zezé Di Camargo na hora da votação, afinal ele não estava concorrendo e também ninguém pediu a opinião do jurado sobre ele).
E agora, vamos falar sobre o Melhores do Ano que o Faustão apresenta. Que credibilidade merece ter uma premiação cujos concorrentes são da própria emissora que organiza o evento? Mas, tem gente que assiste e ainda acredita que isso é imparcial... Aliás, o Renato Kramer estava certíssimo quando escreveu em sua crítica na Folha de S. Paulo que o Melhores do Ano deveria se chamar Melhores da Globo.
Dentre os vitoriosos das categorias de música, as surpresas mesmo ficaram por conta de Paula Fernandes, que venceu cantoras com muito tempo de estrada como Ana Carolina e Ivete Sangalo e a vitória de Leo Magalhães como revelação. Na Categoria Banda ou Dupla, Victor & Leo ganharam mais uma vez.
Na categoria música do ano, era óbvio que a vencedora seria “Ai Se Eu Te Pego”, já que não se fala em outra coisa agora que essa música horrorosa chegou ao topo das paradas da Europa. Mas, a outra concorrente, “Balada”, do Gusttavo Lima, também não é nenhuma obra prima da música brasileira e é igualmente irritante, deixando o posto de menos pior para a música chiclete da Paula Fernandes, “Pra Você”.
Agora para a seção coisas bizarras com certeza vai a vitória de Luan Santana como melhor cantor de 2011. Tudo bem que não foi pior do que o Roberto Carlos ganhar o Troféu Imprensa, mas o Luan Santana vencer o Seu Jorge parece aquelas brincadeiras que todo mundo faz no dia 1° de abril. E isso sem contar que todo mundo estava esperando que o Michel Teló vencesse essa categoria...

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Repeteco: Nuvem de Lágrimas

Composta por Paulo Debétio e Paulinho Rezende, Nuvem de Lágrimas foi lançada por Fafá de Belém de no LP “Fafá”, de 1989. A música, que contou com a dupla Chitãozinho e Xororó, se tornou um grande sucesso ao ser escolhida para ser tema de João, personagem de Humberto Martins na novela Barriga de Aluguel.
Para quem quiser conferir a música na novela, Barriga de Aluguel passa de segunda à sexta, às 16h30 e é reprisada às 2h15, no Viva. 


quinta-feira, 5 de abril de 2012

Dica de Quinta: Chocolate

Aproveitando que daqui a alguns dias chega a Páscoa e boa parte das pessoas não vê a hora de ficar cara a cara com ovos e coelhos de chocolate, nada mais justo do que homenagear aquele que anda ocupando nossos pensamentos essa semana postando uma música que leva seu nome aqui na coluna.
Lançada por Tim Maia, essa música gera controvérsias pelo fato de suspeitarem que não era bem o chocolate que ele queria homenagear ao compor essa música, mas o que realmente importa é a letra que conhecemos e não o que ela pode (ou não) querer dizer. Em 1988, a até então desconhecida Marisa Monte gravou essa música, que até hoje também é lembrada por boa parte de seus fãs. 


terça-feira, 3 de abril de 2012

Novas Enquetes

Pessoal, votem nas enquetes sobre a coluna Perfil do mês de Abril e também da coluna Sobe o Som


Opções Perfil:

Ana Carolina, Chico Buarque, Maria Rita, Rita Lee e Seu Jorge (A enquete vai até o dia 14/04).

Opções Sobe o Som:

Bela Fera, Linha Tênue, Pavilhão de Espelhos, Reis e Ratos e Reza (A enquete vai até o dia 17/04).