domingo, 30 de setembro de 2012

Existe mesmo o maior brasileiro de todos os tempos?

Apresentado pelo jornalista Carlos Nascimento, o programa
pretende eleger uma pessoa para ser o maior símbolo do país.
Desde julho deste ano, o SBT está exibindo o programa O maior brasileiro de todos os tempos, que tem como objetivo eleger uma pessoa que possa ser considerada um símbolo do nosso país pelo que fez de bom para o povo.
Inspirado no formato do programa The Greats, do canal de televisão inglês BBC, a escolha dos candidatos foi feita por meio de uma votação pela internet, que foi dividida em 4 fases: na primeira foi aberta uma votação, na qual chegou-se a uma lista que trazia os cem mais votados, e que foi apresentada no programa. Dessa lista, os 12 mais votados foram divididos em duplas para participar de eliminatórias na segunda fase, das quais saíram os 6 semifinalistas (terceira fase), que passaram por mais um confronto até formar o trio finalista, que é composto por Chico Xavier, Princesa Isabel e Santos Dumont.
Mais do que uma mera votação via internet feita por um programa de entretenimento, O maior brasileiro de todos os tempos visa incentivar o público a discutir mais sobre grandes personalidades que ajudaram a construir o Brasil. De acordo com o jornalista Luiz Roberto Saviani Rey, dependendo da condução do programa, ele pode ter um caráter histórico ou até mesmo complementar (ou suprir) uma disciplina escolar.
Os finalistas são o médium Chico Xavier, a Princesa Isabel,
responsável pela libertação dos escravos e Santos Dumont, 
o inventor do avião.
Apesar de ser importante ter um programa como esse para que as gerações mais novas conheçam grandes brasileiros e até mesmo se inspirem em grandes atitudes que eles tomaram, algumas regras e resultados do programa são bastante surpreendentes e podem até mesmo deixar uma sensação estranha. Entre essas surpresas, uma das que mais se destacaram foi o impedimento de se votar em qualquer artista do SBT, sendo que o próprio dono da emissora é um ícone da televisão brasileira. Segundo a historiadora Sônia Moraes, não havia a necessidade do veto a artistas do SBT, já que não há critério nenhum para escolher o vencedor do programa. Já para Saviani, embora não tivesse necessidade de tomar essa atitude, talvez essa tenha sido uma forma de demonstrar credibilidade.
Outra situação surpreendente são os ataques, que às vezes partem do público da internet, dos defensores dos concorrentes e algumas vezes até mesmo dos entrevistados durante as edições do programa, que são transmitidas ao vivo. Das várias vezes que essa situação desagradável ocorreu, uma que chamou bastante a atenção foi o comentário do jornalista Joseval Peixoto, que na segunda semifinal do programa questionou se o povo aceitaria um suicida (Santos Dumont) como o maior brasileiro de todos os tempos. Essa reflexão é interessante para que se encontre a resposta para a seguinte indagação: o suicídio de Santos Dumont tem força suficiente para apagar o que ele fez de útil para o mundo?
Para Saviani, o suicídio de Santos Dumont não apaga o que ele
fez de bom para o mundo.
Nesta questão, os entrevistados discordaram, pois para Sônia, Santos Dumont era um "herói" fabricado. “Um filhinho de papai que poderia ter passado batido, mas que justamente por ser filho de quem era recebeu destaque... O suicídio teria passado batido e até pode passar, pelo mesmo motivo”, afirmou. Já na opinião de Saviani, “O suicídio de Santos Dumont materializa o desgosto de um homem ter visto o seu invento sendo utilizado como aparato de guerra”. Sendo assim, o jornalista acredita que o suicídio do aviador não apaga em momento algum o invento que hoje é o meio mais eficaz de encurtar distâncias.      
Para quem quiser conferir se quem vai ganhar o programa será Chico Xavier, Princesa Isabel e Santos Dumont, a final de O maior brasileiro de todos os tempos vai ao ar nesta quarta-feira, 3 de outubro, às 23h30 no SBT. 

Confira no vídeo abaixo quem algumas pessoas acham que é O maior brasileiro de todos os tempos e, se quiser, deixe sua opinião sobre quem merece esse título nos comentários!




sábado, 29 de setembro de 2012

Som Brasil homenageia Tim Maia


Na semana em que o pai do Soul Music completaria 70 anos, o Canal Viva resolveu fazer homenagem em dose tripla para o cantor: à tarde, reprisou um episódio do Cassino do Chacrinha do qual ele participou e, à noite, reprisará um episódio do Globo de Ouro que ele se apresentou e o Som Brasil dedicado a ele.
Seu Jorge canta sucessos de Tim Maia (Foto: TV Globo / Renato Rocha Miranda)Exibido originalmente em 24 de abril de 2009, o Som Brasil contou com as presenças de Seu Jorge, Léo Maia, Thalma de Freitas, Marku Ribas, Carlos Dafé e Taryn Szpilman para relembrar grandes sucessos de Tim Maia. 
Entre as músicas apresentadas no programa estão verdadeiros clássicos da MPB, como  Acenda  o farol, Descobridor dos sete mares, Azul da cor do mar, Não vou ficar, Você e eu (eu e você), Não quero dinheiro, Chocolate e Do leme ao pontal.
O Som Brasil em homenagem a Tim Maia vai ao ar hoje, à meia-noite, e será reprisado amanhã, às 19h, no Viva.

Enquete

Em breve, postarei minha segunda matéria da disciplina de Jornalismo Online, que será sobre um programa do SBT chamado O maior brasileiro de todos os tempos. Para saber a opinião dos leitores daqui do blog, eu abri uma enquete com o nome dos três finalistas do programa., que são Chico Xavier, Princesa Isabel e Santos Dumont. Além desses três nomes, também tem a opção de votar em outro brasileiro. E ficaria realmente agradecida se quem votasse nessa opção deixasse nos comentários quem escolheria como o maior brasileiro de todos os tempos.
A enquete termina 4ª feira, às 23h30, pois nesse horário começará a final do programa.     

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Dica de Quinta: Do it

A música, que fez parte da trilha sonora da novela Belíssima, exibida pela Rede Globo em 2005, foi lançada por Lenine no álbum Lenine in cité, de 2004.

Viva exibe Cassino do Chacrinha nesse fim de semana

Cassino do Chacrinha (Foto: CEDOC/ TV GLOBO)

O programa, que foi comandado pelo velho guerreiro durante boa parte da década de 1980 terá mais uma edição reprisada pelo Canal Viva depois de amanhã.
Desta vez, o programa conta com a presença de Fábio Júnior, Kátia, João Penca e seus Miquinhos Amestrados, Tim Maia (será que é apenas uma coincidência ou tem a ver com seu aniversário, que seria nesta sexta-feira, 28?), Leo Jaime, Engenheiros do Hawaii, Banda Mel, Sarajane, Simony & Jairzinho. 
O Cassino do Chacrinha vai ao ar no sábado, às 13h e será reprisado no domingo, às 15h50.


terça-feira, 25 de setembro de 2012

Semana Tim Maia: Não quero dinheiro

Composta por Tim Maia, essa música é uma das mais lembradas por ter sido um grande sucesso quando foi lançada no álbum Tim Maia, de 1971. 

Na Minha Estante: Cheias de Charme



Composta por Guilherme Arantes, a música, que é uma das mais famosas da carreira do cantor, foi lançada por ele no LP Despertar, de 1985.
Esse ano, além de a Rede Globo ter batizado sua atual novela das 19h com esse título, a música tem feito parte da trilha sonora durante os capítulos finais da trama, que será substituída por Guerra dos Sexos a partir da próxima segunda-feira, 1 de outubro.   

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Revivendo a Trilha: Eu amo você


E dando continuidade a nossa Semana Tim Maia aqui no blog, a coluna Revivendo a Trilha de hoje também traz uma música famosa do cantor (e uma das mais lindas também, diga-se de passagem!).
Composta por Genival Cassiano e Silvio Rochael, a música fez parte do primeiro LP de Tim Maia, de 1970 (Sim, é aquele mesmo que trouxe as pérolas Primavera e Azul da cor do mar para entrar para a história da Música Popular Brasileira.
Em 2008, essa música tão linda fez parte da trilha sonora da novela Negócio da China, embalando as cenas do casal Lívia e Heitor.

Semana Tim Maia: Gostava tanto de você

Composta por Edson Trindade em homenagem à filha dele que havia falecido, a música fez um estrondoso sucesso na voz de Tim Maia, que a lançou no LP Tim Maia, de 1973, do qual ela foi a principal música.  

Perfil: Tim Maia


Na próxima sexta-feira, dia 28, o dono de uma das vozes mais poderosas (e intensas) do Brasil faria 70 anos. Mas, engana-se quem acha que o caminho dele até o sucesso foi fácil, pois por ser negro, ele enfrentou muitas dificuldades.
Entretanto, no fim das contas ele superou tudo isso e se tornou muito conhecido já no seu primeiro LP, lançado em 1970 e que trouxe Primavera e Azul da cor do mar para a lista de músicas mais famosas da carreira do cantor. Devido ao enorme sucesso do LP Tim Maia, no mesmo ano ele foi convidado para fazer uma participação no LP Em Pleno Verão, cantando com Elis Regina o dueto que ele mesmo compôs, These are the songs.
Nos mais de 40 anos de carreira do gordinho mais simpático do Brasil, ele conseguiu emplacar vários sucessos que permanecem na memória das pessoas até hoje, como Azul da Cor do Mar, Primavera, Gostava Tanto de Você, Do leme ao pontal, Vale Tudo, Não quero dinheiro, Acenda o Farol, Você, Descobridor dos sete mares e tantas outras  que fizeram com que o cantor que adorava “mandar o lima” quando não queria se apresentar se tornasse uma figura inesquecível.



domingo, 23 de setembro de 2012

Semana Tim Maia: Primavera

Esse mês, o grande Tim Maia completaria 70 anos. E para relembrar esse cantor e compositor que viveu a vida da forma mais intensa que conseguiu, resolvi fazer a Semana Tim Maia, que começa agora.
Como primeira música dessa série de posts que farei sobre o Tim Maia durante essa semana, escolhi aquela que podemos dizer que foi o primeiro grande sucesso da carreira do seu Sebastião: Primavera. A música, que é uma das composições mais românticas que ele interpretou, fez parte do LP Tim Maia, de 1970, e que já foi regravada várias vezes nesses mais de 40 anos do lançamento da canção.

Momento Globo de Ouro: É


Composta por Gonzaguinha, essa música continua tão atual quanto era na época que foi lançada no LP Corações Marginais, em 1988. No mesmo ano, ela fez parte de uma das novelas mais importantes da teledramaturgia brasileira, Vale Tudo.
O motivo pelo qual essa canção é tão expressiva se deve ao fato de ela ser uma dura crítica à política, uma vez que tanto em 1988 quanto hoje fica claro que existem políticos vendo no eleitor um idiota que eles podem manipular de acordo com seus interesses (Aliás, essa música é perfeita para o nosso atual período eleitoral, pois daqui a duas semanas será hora de votar para prefeito e vereador...).
Além dessa composição tão madura de Gonzaguinha, no vídeo abaixo tem outros sucessos que ele interpretou em forma de pout-pourri no Globo de Ouro nessa apresentação de 1988, como Sangrando, Lindo Lago do Amor, O que é o que é e Explode Coração 



sábado, 22 de setembro de 2012

Viva reprisa de novo o Som Brasil sobre Os Paralamas do Sucesso


Parece que o Viva gostou mesmo dessa ideia de reprisar tudo mais de uma vez. O canal (re)reprisará neste sábado o Som Brasil que homenageou a banda de rock liderada por Hebert Viana, que emplacou grandes sucessos como Meu Erro e Lanterna dos Afogados. O programa foi exibido pela Rede Globo em 31 de Julho de 2009.
Além da banda Os Paralamas do Sucesso, o programa também contará com a presença das cantoras Maria Gadú, Greice Ive e o coletivo carioca Digital Dubs, que vão ao palco do Som Brasil apresentado por Camila Pitanga para cantar alguns dos maiores sucessos de uma das maiores bandas de rock do país.
O Som Brasil vai ao ar hoje, à meia-noite, e será reprisado amanhã, às 7 da noite, no Viva.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Repeteco: Vou deixar


Composta por Samuel Rosa e Chico Amaral, a música do CD Cosmotron, gravado e lançado em 2003 pela banda Skank, fez parte no ano seguinte da trilha sonora da novela Da cor do pecado, cuja segunda reprise começa a ser exibida no Vale a pena ver de novo na próxima segunda feira, 24.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Dica de Quinta: Mais Alguém


A música, que fez parte da trilha sonora das novelas Negócio da China, de 2008, e Viver a Vida, de 2009, foi lançada no CD Que belo estranho dia para se ter alegria, lançado por Roberta Sá em 2007. 

Coluna Anos Dourados: Os rios que correm pro mar


Composta  por Custódio Mesquita e Ewaldo Ruy, a música, que foi lançada em 1944, fez parte da trilha sonora de Um só coração. Na minissérie exibida em 2004 pela Rede Globo, a música foi interpretada por Teresa Cristina.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Na Minha Estante: Álibi



Composta por Djavan, a música se tornou um dos maiores sucessos da carreira de Maria Bethânia ao ser lançada por ela em 1978, no LP Álibi. Além da faixa-título, o álbum, que foi o primeiro a vender mais de 1 milhão de cópias, também trouxe outras músicas bastante famosas ainda hoje, como Sonho Meu, de Dona Ivone Lara e Delcio Carvalho, Explode Coração, de Gonzaguinha, e duas de Chico Buarque, O meu amor e Cálice (esta última em parceria com Gilberto Gil).






segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Revivendo a Trilha: Close to you


Composta por Hal David e Burt Bacharach, a música (conhecida também como They long to be - Close to you) foi gravada originalmente como single, em 1963, pelo ator norte americano Richard Chamberlain, que ficou famoso no Brasil em 1985, quando o SBT exibiu a minissérie Pássaros Feridos, da qual ele foi o protagonista. Porém, a versão feita pelo eterno “Padre Ralph de Bricassart” não alcançou o sucesso almejado.
Entretanto, apesar de a música ganhar várias regravações ao longo da década de 1960, ela só conquistou o sucesso mesmo em 1970, quando foi gravada para o segundo álbum da dupla The Carpenters, Close to you.
Em 2006, a dupla brasileira Cídia e Dan regravou essa música, que fez parte da trilha sonora dos protagonistas da novela O Profeta, exibida pela Rede Globo no mesmo ano. Ainda em 2006, a canção esteve presente no CD Duetos Românticos, no qual Cídia e Dan regravaram grandes clássicos da música internacional. 

Versão de Cídia e Dan, 2006


Vídeo Original da dupla The Carpenters, de 1970

domingo, 16 de setembro de 2012

Momento Globo de Ouro: Fogo e Paixão


A música, que de longe é a mais famosa das que Wando, o eterno rei da música brega (apesar de pra mim essas músicas estarem mais para românticas) gravou em seus mais de 40 anos de carreira, foi lançada em 1988, no LP O mundo romântico de Wando


sábado, 15 de setembro de 2012

Semana Maria Rita: Menino


Depois de uma semana em que pudemos revisitar músicas importantes da carreira da cantora, a Semana Maria Rita infelizmente está chegando ao fim. E para encerrar essa série de postagens sobre Maria Rita, escolhi uma música que, para mim, foi a melhor interpretação dela no projeto Viva Elis, show  apresentado este ano no qual ela cantou grandes sucessos de sua mãe: Menino.
Composta por Milton Nascimento e Ronaldo Bastos em 1968, um episódio muito trágico foi a inspiração para a concepção dessa música tão intensa: o assassinato do estudante Edson Luís por policiais militares em um confronto no restaurante Calabouço, no centro do Rio de Janeiro. A morte do rapaz, que tinha apenas 18 anos, foi motivo de inúmeros protestos e confrontos pelo país inteiro, inclusive na missa de sétimo dia do menino, onde dezenas de pessoas foram atacadas pela cavalaria da polícia militar com golpes de sabre. Mas mal sabia o povo brasileiro que esse seria só o primeiro dos muitos momentos de terror e que esse menino seria a primeira vítima oficial que os anos de Ditadura Militar ainda iriam trazer.
Apesar de essa música ter sido composta na ocasião da morte do estudante, Milton Nascimento só viria a gravá-la 8 anos depois no LP Geraes, pois teve medo de lançá-la em 1968 e tal atitude ser interpretada não como uma homenagem a esse e a tantos outros assassinados, e sim como uma tentativa de se aproveitar do ocorrido para lançar a música.
Em 1980, a música fez parte do LP Saudade do Brasil, um dos últimos álbuns de estúdio da carreira de Elis Regina, que viria a falecer menos de dois anos depois, quando Maria Rita estava com apenas 4 anos.


Viva reprisa Som Brasil dedicado a João Bosco


Ainda hoje, o viva reprisará pela segunda vez o Som Brasil que homenageou um dos maiores compositores da Música Popular Brasileira: João Bosco.
Ele, que em parceria com Aldir Blanc compôs sucessos inesquecíveis como O Bêbado e a Equilibrista, Dois pra Dois pra cá, Bala com Bala, Bijuterias e Mestre Sala dos Mares, ganhou a homenagem do Som Brasil originalmente em 26 de junho de 2009, quando interpretou grandes sucessos de sua carreira ao lado de Zizi Possi, Zé Renato e outros cantores. 
O Som Brasil em homenagem a João Bosco vai ao ar hoje, à meia-noite e será reprisado amanhã, ás 19h, no Viva.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Semana Maria Rita: Latinoamerica

Composta por René Perez Joglar (mais conhecido como Residente), a música foi o quinto single do quarto álbum de estúdio da banda Calle 13, que se chama Entre los que quieran e foi lançado em 2010.  
A música, que inclusive ganhou o Grammy Latino de 2011 na categoria Gravação do ano, abordou temas importantes não só para a América como para o mundo em geral, como por exemplo, problemas sociais e políticos. Além do grupo Calle 13, a canção contou com os vocais da peruana Suzana Barca, do colombiano Totó la Momposina e de Maria Rita, que representou o Brasil. Curiosamente, a música não esteve presente no repertório de nenhum álbum da cantora. 

Repeteco: Charme do Mundo


Composta por Marina Lima e Antônio Cícero, a música, que fez parte do álbum Certos Acordes, de 1981, fez parte da trilha sonora da novela Sétimo Sentido, de Janete Clair, já no ano seguinte ao lançamento do LP.
Vinte anos depois, fez parte da trilha sonora da novela Pequena Travessa, do SBT, na qual foi o tema da personagem Baby, interpretada por Ana Cecília Costa. Atualmente, a segunda reprise da novela está em seus capítulos finais no SBT

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Semana Maria Rita: O que é o amor


Composta por Arlindo Cruz, Freddy Camacho e Maurição, a música fez parte do álbum Samba Meu, lançado em 2007, o terceiro da cantora Maria Rita (e o primeiro gravado por ela somente com sambas, como o próprio nome do cd já diz).  
Notha: Além de ser uma das músicas da MR que eu mais gosto, O que é o amor é a minha preferida do Samba Meu.

Dica de Quinta: Só vale com você


Composta por Lupa Mabuze, Só vale com você fez parte do repertório de L.M, o quinto CD da cantora Luciana Mello. Lançada em 2004, a música foi o único single oficial do álbum, considerado um dos melhores da carreira de Luciana.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Semana Maria Rita: Feliz


Composta por Dudu Falcão, a música fez parte do repertório do álbum Segundo, que foi lançado por Maria Rita em 2005. No mesmo ano, Feliz esteve presente na trilha sonora da novela Belíssima, de Silvio de Abreu.

Coluna Anos Dourados: Peixe Vivo


Na próxima terça-feira, o Canal Viva começará a reprisar a minissérie JK, que conta a história do ex-presidente Juscelino Kubitschek. Exibida originalmente pela Rede Globo em 2006, a produção teve como tema de abertura a música folclórica Peixe Vivo, da qual o “Presidente Bossa Nova” tanto gostava e que o acompanhou por toda a sua carreira na política. A canção foi interpretada por Milton Nascimento na abertura de JK.


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Semana Maria Rita: Caminho das Águas


Composta por Rodrigo Maranhão, a música, que fez parte do repertório do álbum Segundo,  foi lançada por Maria Rita em 2005.
Em 2007, Caminho das Águas foi o tema de abertura da minissérie Amazônia: de Galvez a Chico Mendes. 

Na Minha Estante: Não aprendi dizer adeus



Um dos maiores sucessos da carreira da dupla sertaneja Leandro e Leonardo, a música fez parte do repertório do álbum Leandro & Leonardo Vol. 5, lançado em 1991.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Semana Maria Rita: Só de você


A música de hoje está no álbum Elo, que a cantora lançou em setembro do ano passado. Entretanto, essa não é a primeira gravação de Só de você, pois ela foi gravada originalmente no início da década de 1980.
Composta por Rita Lee e Roberto de Carvalho, a música fez parte do repertório do  LP Rita Lee e Roberto de Carvalho, de 1982. Vale lembrar que neste mesmo álbum foram lançados dois grandes sucessos da carreira de Rita Lee, Flagra e Cor de Rosa Choque.

Notha: Essa é a minha música preferida do Cd Elo.

Revivendo a Trilha: Encostar na tua


Ontem, com a preparação do post de aniversário e do primeiro post da Semana Maria Rita, acabou não dando tempo de falar da outra cantora que também fez aniversário ontem (e que eu gosto muito por sinal): Ana Carolina. Por conta disso, a coluna Revivendo a Trilha desta semana será dedicada a ela.
Composta pela própria Ana Carolina, a música fez parte do repertório do álbum Estampado, lançado em 2003 e do qual ela foi o primeiro single. No mesmo ano, Encostar na tua fez parte da trilha sonora da novela Celebridade, de Gilberto Braga, na qual foi o tema do casal Inácio e Sandra, personagens de Bruno Gagliasso e Juliana Knust.

domingo, 9 de setembro de 2012

Semana Maria Rita: A Festa

Composta por Milton Nascimento, essa música foi o primeiro single do álbum Maria Rita, de 2003, o primeiro da carreira da cantora Maria Rita.
Notha (Só os bacanudos vão entender rs): Me lembro que a primeira vez que vi a cantora foi quando esse mesmo clipe apareceu no finalzinho do Fantástico, provavelmente em 2003.


Momento Globo de Ouro: Qualquer Jeito


A Versão brasileira da música It Should Have Been Easy, de Bob McDill, foi composta por Erasmo Carlos e Roberto Carlos e lançada por Kátia (que é afilhada do “rei” e também é conhecida como Kátia Cega) em 1987.
Além de ser o principal sucesso da carreira de Kátia, Qualquer Jeito (também chamada de “Não está sendo fácil”) é também uma das músicas que mais apareceu nas exibições do Globo de Ouro, que o Canal Viva vem reprisando desde maio deste ano.

Hoje é #DiaDeMaria


Há 35 anos, Elis Regina trouxe ao mundo um presente aos fãs da boa e “velha” MPB, pois exatamente nessa data nascia Maria Rita, a “Santa Padroeira dos Bacanudos”.
E graças a esse presente que a rainha mãe nos deixou, há 10 anos nossos ouvidos são presenteados com músicas de qualidade e uma voz marcante.
Para homenagear Maria Rita, a princípio eu havia pensado em fazer um post como já fiz para vários outros artistas aqui no blog, mas depois que assisti ao vídeo emocionante que o pessoal do Portal MR fez para ela, percebi que só um post desejando Feliz Aniversário não seria suficiente. E foi pensando nisso que, assim como fiz outras vezes por aqui, eu resolvi fazer a Semana Maria Rita, que começa ainda hoje.

sábado, 8 de setembro de 2012

Crítica da Semana: Som Brasil e os Festivais... de horrores



No dia 31 de agosto, a Rede Globo exibiu o Som Brasil dedicado aos Festivais de Música Popular Brasileira, que se tornaram uma febre no país entre a segunda metade da década de 1960 e os primeiros anos da década de 1970.
Embora a própria Globo tenha organizado alguns desses festivais, parece que a produção do programa não entendeu que música de festival é pra cantar com vontade, e não quase dormindo como alguns convidados desse Som Brasil  fizeram.
De todas as músicas apresentadas no programa, as piores interpretações ficaram por conta de Maria Gadú, que fez interpretações medonhas de Arrastão (considerada a precursora da nossa MPB na voz de Elis Regina) e da antológica Divino Maravilhoso, que é um verdadeiro clássico da carreira de Gal Costa e Caetano Veloso. Apesar de gostar bastante da voz da Gadú, acho que faltou alguém para orientá-la na interpretação dessas duas canções ou até mesmo um pouco mais de estudo da própria intérprete, pois ela cantou como se essas canções fossem A história de Lily Braun, cuja versão que ela fez é uma das melhores dessa música.
Outra música que eu adoro, mas que eu achei a interpretação péssima foi Sinal Fechado, pois a suavidade dada por Paulinho da Viola se perdeu no rap de Emicida (eu não tenho nada contra rap, mas o ritmo não combina com essa música).
Ironicamente, apesar de não ter se saído bem em duas de suas interpretações, a outra música que Maria Gadú interpretou no especial ficou entre uma das minhas preferidas: Andança. Imortalizada na voz de Beth Carvalho no Festival Internacional da Canção de 1968, a canção combinou perfeitamente com o tom suave que Gadú deu a ela, sendo realmente uma das poucas músicas do especial que a interpretação não foi um fiasco.
Dentre as músicas apresentadas, também se destacaram Fio Maravilha (também chamada de Filho Maravilha, com Tiago Amud e Maria Alcina, a intérprete original da música), A Banda, que na voz do grupo Pitanga em pé de amora ficou tão sem sal quanto a interpretação original, mas até que o grupo se saiu bem, Domingo no Parque, que Tiago Amud fez uma boa versão e Disparada, pois Jair Rodrigues mostrou que ainda está em boa forma no quesito música de protesto. Além dessas, foram interpretadas no programa as músicas BR3, Universo no teu corpo, Pra não dizer que eu não falei das flores e Lapinha.
Outro ponto que chamou bastante a atenção foi o fato de simplesmente ignorarem algumas músicas que ficaram tão famosas justamente por terem sido lançadas nesses festivais, como Roda Viva, Sabiá (que são praticamente dois hinos da época da Ditadura Militar) e Alegria, Alegria, pois nem ao menos ganharam uma interpretação no programa. Aliás, eu adoraria saber o que o Som Brasil tem contra a música Alegria, Alegria, pois nem no Som Brasil em homenagem a Caetano Veloso essa música foi cantada.
Entretanto, apesar de todos os erros que o programa apresentou, a verdade é que pelo menos valeu a tentativa de homenagear um período tão importante para a história da Música Popular Brasileira, pois é melhor fazer uma homenagem cheia de erros do que simplesmente esquecer que os festivais existiram um dia.

Som Brasil homenageia Martinho da Vila


Martinho da Vila é o homenageado do 'Som Brasil' (Foto: TV Globo / Renato Rocha Miranda)
Exibido originalmente em 29 de maio de 2009, o Som Brasil que homenageou um dos principais cantores de samba brasileiro contou com a presença do próprio Martinho da Vila, de uma das filhas dele, Mart’nália e também da cantora Simone para interpretar grandes sucessos do eterno amante da Vila Isabel.

Entre as músicas mais famosas desse grande cantor e compositor carioca que  foram interpretadas no programa estão Casa de Bamba, Canta, Canta Minha Gente, Filosofia de Vida e Tom Maior.
O Som Brasil que homenageará Martinho da Vila vai ao ar hoje, à meia-noite e será reprisado amanhã, às 19h, no Viva.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Repeteco: Vida


Composta por Cláudio Rabello, Rosa Girón e Mariano Perez, a música foi lançada em 1988, num LP cujo nome também é Vida do qual saíram outras músicas de Fábio Júnior que também se tornaram grandes sucessos da carreira do cantor, como Felicidade e Caça e Caçador.
Em 1989, Vida fez parte da trilha sonora da novela Top Model como tema da empregada Cida, personagem de Drica Moraes. A novela está se aproximando dos capítulos finais no Canal Viva, onde é reprisada desde o fim do ano passado de segunda à sexta, às 15h30 e reprisada às 01h15.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Dica de Quinta: Linda Demais


Composta por Kiko e Tavinho Paes, a música, que até hoje é uma das mais conhecidas do grupo Roupa Nova, foi lançada por eles em 1985, quando fez parte do LP Roupa Nova.  


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Coluna Anos Dourados: Alguém como tu


Composta por José Maria de Abreu e Jair Amorim, a música, lançada em 1952 por Dircinha Batista, é até hoje uma das canções da década de 1950 mais lembradas, principalmente a regravação feita por Dick Farney.
Por conta do sucesso da música, em 1986 ela fez parte da trilha sonora da famosa minissérie Anos Dourados, cuja trama se passava na mesma época em que a canção se tornou conhecida. 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Na Minha Estante: Bijuterias



Composta pela famosa dupla de clássicos da MPB, João Bosco e Aldir Blanc, Bijuterias fez parte do LP Tiro de Misericórdia, lançado por João Bosco em 1977. No mesmo ano, foi o tema de abertura da novela O Astro, de Janete Clair.
Em 2011, a Rede Globo exibiu um remake da novela, que desta vez foi escrita por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro.


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Revivendo a Trilha: Lero-Lero


Composta por Erasmo Carlos, Lero-Lero foi lançada no álbum Santa Música, de 2004. No ano seguinte, a música foi o tema de abertura da novela A lua me disse.

O amor de fã nos tempos da internet


Logotipo do blog de Wallace, cujo endereço é  http://euamompb.blogspot.com.br/
Logotipo do blog de Wallace,
cujo endereço é  http://euamompb.blogspot.com.br/  
Com os avanços da tecnologia, descobrir tudo o que nos interessa ficou muito fácil, e com o mundo artístico não foi diferente. Para deleite dos fãs, a vida e a obra dos artistas estão cada vez mais expostas na rede, sendo possível até mesmo baixar álbuns de cantores e bandas gratuitamente.
Contudo, alguns fãs vão além da busca por CDs e DVDs de seus ídolos, chegando a criar espaços para trocar ideias e informações sobre esses artistas, como é o caso do auxiliar de escritório Wallace Surce. Moderador do Clube da MPB há um ano, ele criou o blog para compartilhar o que sabe dos artistas consagrados e também divulgar o trabalho da chamada nova geração da música popular brasileira. E para divulgá-lo, ele criou também um twitter, um perfil e uma página no Facebook e, recentemente, um grupo, também no Facebook, nos quais os fãs de MPB podem debater e compartilhar vídeos, áudios e informações.                                                         
  
Apesar da facilidade de baixar na internet, nada alegra mais um fã
do que ter em mãos a obra de seus artistas preferidos
Entretanto, mesmo com a facilidade de se adquirir os trabalhos dos artistas pela internet, Wallace ainda prefere ter o produto em mãos. “Geralmente quando gosto de um artista eu quero ter toda a discografia dele, na minha opinião nada substitui o disco físico, gosto de ler o encarte, saber a ficha técnica e isso acaba se perdendo quando você apenas baixa o CD, mas é válido pra você conhecer novos artistas e depois comprar o álbum nas lojas”, afirmou.
Outra situação muito comum é quando, diferentemente do Clube da MPB, que fala sobre vários artistas, o objetivo do blog é falar de um artista específico, como é o caso do Portal Maria Rita.
Em entrevista ao Vitrine MPB, o criador do blog, o estudante de jornalismo Wesley Mesquita, conta como surgiu a ideia de criá-lo e também como começou sua admiração por Maria Rita. Além disso, ele explica como são selecionadas as notícias postadas no blog e a participação do público nesse espaço.

Vitrine MPB: Como você se tornou fã da Maria Rita?

Wesley Mesquita: Pergunta difícil... Eu tinha 10 anos, e ouvi o trecho de uma música na rádio e fui procurar na internet. Achei a música errada, por sorte, a "errada" era da Maria Rita. Paixão a primeira "escutada". Ela tinha acabado de lançar o disco praticamente...

V.M: Além da Maria Rita, você é fã de outras cantoras de MPB? Se sim, quais?

W.M: Fã, único e exclusivo da Maria Rita. Da Elis também sou fã. Conheci o trabalho da Elis através da MR, aos 10 anos. Maria Rita foi um leque de possibilidades, de novidades, de cultura. Eu era muito novo, conheci muita coisa através dela... Da MPB, hoje escuto muito Vanusa, Aretha Marcos, Luiza Possi, Fabiana Cozza...

Página inicial do blog administrado por Wesley. Para acessá-lo,
o endereço é  http://portalmariarita.wordpress.com/    
V.M: E como surgiu a ideia de criar um blog sobre ela? Há quanto tempo ele existe?

W.M: Foi no mesmo mês que conheci a Maria Rita. Ele tem 9 anos de existência. A ideia surgiu a partir da vontade de juntar e compartilhar as informações sobre ela, e aquele sonho foi crescendo, crescendo... E deu no que deu. 

V.M: E você a conhece pessoalmente? Ela sabe sobre o blog?

W.M: 9 anos na "carreira" de fã é muito tempo. A gente se segue nas redes sociais, conversa bastante. Ela é muito carinhosa, e atenciosa também, sempre. Sabe e gosta muito do blog, que hoje, não é mais só um blog... virou uma plataforma "mariana", estamos no face, youtube, twitter, instagram, tumblr, e por aí vai...

V.M: Como você seleciona o que vai postar no blog? Já aconteceu de você postar alguma notícia e depois descobrir que era apenas um boato?

W.M: Sou um tanto chato quanto à isso. Seleciono o que é arte. O que fala da música, da carreira da Maria Rita. Raramente (e quase nunca) falo da vida pessoal, às vezes citamos quando ela fez uma nova tatuagem ou coisa do gênero, fora isso, não. A minha ligação com a Maria Rita está na arte. Espalhar (ainda mais) esse canto bonito que só ela tem...
Que eu me lembre não aconteceu não. Eu confiro muito as fontes, e quando é algo muito importante, pergunto direto pra ela.

V.M: Há alguns meses, começou a circular na internet que o show Viva Elis seria lançado em CD e DVD, sendo que até então a cantora não havia confirmado nada. A princípio, você não postou no seu blog. Por que você preferiu não postar e como você descobriu que o show iria mesmo ser comercializado?

W.M: Sou cri-cri nessa parte: só divulgo o que é confirmado, oficial. Fofoca é um lance tão chato... E o Portal Maria Rita tem mais de mil acessos diários. Fica chato passar uma nota errada... Só passei pro site quando a assessoria de imprensa me informou...

V.M: E o público, costuma participar bastante no blog ou a participação se restringe apenas às redes sociais? E eles costumam enviar para você o que encontram sobre a Maria Rita? 

W.M: Participam! A casa é aberta: pode mandar foto, vídeo, texto... Tem até um canto especial, que se chama "Espaço do Fã".
Eles enviam, mas cá entre nós, provavelmente eu já tenho a informação... Mas agradeço, e compartilho sempre...

V.M: Com a internet, hoje é possível baixar vários CDs e DVDs sem pagar nada. Você baixa pela internet ou compra tudo o que sai sobre a Maria Rita?

W.M: Sempre comprei tudo na pré-venda (exceto o primeiro CD). Já tive úlcera de ansiedade por causa de esperar sair um CD (O "Samba Meu" - Warner, 2007 no caso...). Às vezes compro mais de um, por garantia. Compro pra dar de presente... 



domingo, 2 de setembro de 2012

Momento Globo de Ouro: Comida

Composta por Arnaldo Antunes, Marcelo Fromer e Sérgio Britto, a música fez parte do quarto álbum de estúdio da banda Titãs, Jesus não tem dentes no país dos banguelas, lançado em 1987.


Novidades de Setembro no Vitrine MPB


  • Semana Tim Maia

Esse mês, Tim Maia completaria 70 anos, e para relembrar alguns de seus sucessos,  assim como tivemos aqui no blog as semanas Tom Jobim, Gilberto Gil e Caetano Veloso, em setembro será a vez da Semana Tim Maia na última semana do mês, pois ele faria aniversário dia 28 de setembro.

Além dessa homenagem, teremos também uma edição da coluna Perfil dedicada a ele e, assim como fiz no aniversário de Caetano Veloso, postarei músicas de Tim Maia em outras colunas do blog quando for possível.

·        Jornalismo Online

Por conta de uma disciplina que estou cursando esse semestre na faculdade, que tem como um dos trabalhos a postagem de reportagens em um blog, a partir desse mês vou postar esses trabalhos aqui, só que é bem provável que nem todas as reportagens tenham a música como tema, pois pretendo falar também sobre a cultura em geral.
A princípio, essa “seção” durará pelo menos até novembro, mas se der certo, quem sabe ela não acaba se tornando fixa e voltada especificamente para o mundo musical?