sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Crítica da Semana: Gangnam Style: o exagero que virou sucesso


 
No início era apenas mais uma música internacional daquele tipo que parecia ser apenas uma febre passageira como Ai se eu te pego, mas com o passar dos meses vimos exatamente o contrário, pois a música composta por Yoo Gun-hyung continua fazendo um sucesso absurdo, chegando até mesmo a ser o vídeo mais acessado do youtube.
Por conta desse estrondoso sucesso, muita gente já deve ter se perguntado por que uma música como essa se tornou famosa em tão pouco tempo. Será que foi porque o ritmo da música deixa as pessoas com vontade de dançar? Ou será que é por causa do excesso de luxo que o clipe da música mostra? Ah, e ainda tem o Psy dançando daquele jeito super hiperativo, que também poderia ser o motivo de esse vídeo ser tão comentado.
Apesar de não ser nada demais gostar de Gangnam Style, uma coisa pé fato: assim como em várias outras situações, tudo que é repetido infinitas vezes um dia acaba enjoando. Dentre as incansáveis vezes em que essa música foi repetida nos últimos quatro meses, uma delas me chamou bastante a atenção: em pleno Teleton, maratona televisiva que o SBT realiza anualmente há 15 anos para arrecadar fundos para a AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) Gangnam Style deve ter sido executada pelos menos umas cinco vezes com os apresentadores dançando descontroladamente.  Essa situação chega a ser irônica, uma vez que sabemos que boa parte das crianças da AACD não tem os movimentos das pernas, então acho que não pegou muito bem mostrar pessoas pulando enlouquecidamente ao vivo.
Além disso, tem aquele velho problema de brasileiro só gostar de tudo o que é estrangeiro, pois duvido que alguém ia por repetir uma música brasileira várias vezes para os apresentadores do Teleton dançarem freneticamente, acho que nem se fosse a música mais famosa do momento. Mas, como fez sucesso nos Estados Unidos aí pode tudo, não é mesmo? Aliás, não satisfeitos com o show no Teleton, os artistas do SBT vão também dançar Gangnam Style na vinheta de fim de ano.
Mesmo sendo ruim uma música internacional fazer muito mais sucesso do que as boas músicas e os ótimos artistas que o Brasil tem ou já teve um dia, pra uma coisa Gangnam Style serviu perfeitamente: para transformar Latino em motivo de piada mais uma vez.
Ao tentar fazer uma versão brasileira do sucesso de Psy, cujo nome é Despedida de Solteiro, Latino conseguiu uma verdadeira proeza: seu vídeo foi o campeão de “não gostei” da história do youtube, tanto que o canal foi até tirado do ar, voltando a funcionar ontem e sem a versão de Gangnam Style. 

Repeteco: Da cor do pecado


Composta pelo violonista Bororó em 1939, a música inspirada em uma mulher chamada Felicidade foi gravada originalmente por Silvio Caldas, ganhando posteriormente versões de Fagner, Elis Regina, João Gilberto e outros grandes nomes da música popular brasileira.
Em 2004, Da cor do pecado foi o tema de abertura de uma novela que levava o mesmo nome da música, desta vez interpretada por Luciana Mello.



quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Dica de Quinta: Deixa o verão


Composta por Rodrigo Amarante, a música fez parte do CD Ventura, lançado pelo grupo Los Hermanos em 2003. Em 2006, Deixa o verão foi regravada por Mariana Aydar para o CD Kavita (que significa poeta em sânscrito), sendo escolhida 1 ano depois para fazer parte da trilha sonora da novela Malhação


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Som Brasil deste mês homenageia a Tropicália


Um mês após completar 45 anos do Festival responsável por apresentar ao público um dos movimentos mais importantes da história da nossa música, o Som Brasil homenageará esse estilo musical tão polêmico e irreverente, a Tropicália (também conhecida como Tropicalismo).
Liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil e tendo entre seus adeptos figuras ilustres, como Nara Leão, Tom Zé, Gal Costa, Rita Lee (que na época formava o grupo Os Mutantes como irmãos Arnaldo e Sérgio Baptista) e o maestro Rogério Duprat, esse movimento musica surgiu num momento tenso tanto para a MPB quanto para o país em geral.
Naquela época em que a Tropicália ficou conhecida (mais ou menos na metade de 1967) a Música Popular Brasileira se via ameaçada pelo fenômeno da Jovem Guarda, a quem acusava de ser alienada por não trocar o iê iê iê pelas músicas de protesto, que eram letras muito mais pesadas por desafiarem o governo militar instalado no país contra a vontade do povo.
Com o objetivo de inovar por meio de referências à Semana de Arte Moderna e até mesmo a Jovem Guarda e seu estilo de música internacional, o movimento tropicalista foi massacrado pela dita “verdadeira música popular brasileira”, começando assim uma rixa que só terminaria mais de um ano depois, quando o Ato Institucional número 5 foi decretado e vários artistas foram presos ou exilados, como Caetano Veloso e Gilberto Gil. Com a prisão e o exílio da dupla tropicalista, o movimento praticamente chegou ao fim, mas as composições daquela época continuam na memória do povo brasileiro até hoje.
E para relembrar essa época tão importante para a música brasileira, Felipe Cordeiro, Miranda Kassin & André Fratesch, O Terno e Rockz vão ao palco do programa apresentado por Camila Pitanga para interpretar grandes sucessos, como Alegria Alegria, Ando meio desligado, Tropicália, Aquele abraço, São, São Paulo, Panis et Circensis e Geleia Geral.
O Som Brasil em homenagem a Tropicália vai ao ar nesta sexta, 30 de novembro, logo após o Programa do Jô.

Coluna Anos Dourados: Every Time I Turn Around


A música de hoje fez parte da infância de muita gente nas décadas 1980 e 1990. Composta por Gary Portnoy e Judy Hart Ângelo, Every Time I Turn Around foi o tema de abertura do seriado Punky – a levada da breca, exibida originalmente de 1984 a 1986 nos Estados Unidos.
No Brasil, o seriado foi ao ar entre o fim da década de 1980 e a década de 1990 no SBT, sendo reprisada pela última vez em 2009, pela Rede Bandeirantes.Aliás, a abertura foi modificada por aqui, tendo também uma música composta por Mário Lúcio de Freitas e Marcelo Gastaldi.




terça-feira, 27 de novembro de 2012

Na Minha Estante: Fato Consumado



Composta por Djavan, Fato Consumado ficou em 2° lugar no Festival Abertura, organizado pela Rede Globo em 1975. No ano seguinte, a música fez parte de A Voz - O Violão - A Música de Djavan, primeiro LP do cantor e compositor alagoano. 


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Perfil: Paulinho da Viola


Um dos principais sambistas da história da Música Popular Brasileira, Paulo César Batista de Faria, mais conhecido como Paulinho da Viola, viveu desde sempre rodeado por muita música. Filho do violinista e chorão César Faria, do conjunto Época de Ouro, esse grande cantor e compositor carioca cresceu ouvindo alguns mitos da nossa música cantando na sala de casa, como Pixinguinha. Por conta da forte influência musical, não demorou muito para que ele aprendesse a tocar violão e cavaquinho.
Em 1965, participou do espetáculo Rosa de Ouro e, juntamente com o conjunto A voz do morro, do qual fazia parte, gravou os LPs Roda de Samba 1, 2 e 3.
Hoje, 50 anos depois da composição de seu primeiro samba, Pode ser ilusão, podemos dizer que outras músicas de sua autoria ainda fazem bastante sucesso, principalmente a que ele dedicou a sua tão amada escola de samba do coração, a Portela, chamada Foi um rio que passou em minha vida. Além desse clássico, sambas como Pecado Capital, Recado, Dança da Solidão, Sei lá Mangueira, Coisas do mundo minha nega, Coração leviano e a campeã de festival Sinal Fechado ainda se mantém na memória das pessoas.

Revivendo a Trilha: Coisas que eu sei


Composta por Dudu Falcão, Coisas que eu sei foi o primeiro single da carreira de Danni Carlos, que a lançou em seu primeiro CD totalmente de músicas em português, Música Nova, de 2007. No mesmo ano, a música fez parte da trilha sonora da novela Duas Caras.

Momento Globo de Ouro: Angra dos Reis


Composta por Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá e Renato Russo, a música, que fazia menção a construção da usina nuclear Angra dos Reis, fez parte do LP Que país é este, lançado em 1987 pela banda Legião Urbana.

sábado, 24 de novembro de 2012

Viva reprisa de novo Som Brasil em homenagem a Adoniran Barbosa


Hoje, o Canal Viva reprisará pela segunda vez o Som Brasil em homenagem ao pai do samba paulista, Adoniran Barbosa. Exibido originalmente em 30 de abril de 2010, a atração contou Arnaldo Antunes, o grupo Demônios da Garoa, a cantora Céu e o Rapper Renegado para cantar os grandes sucessos do sambista paulistano.
Entre os grandes sucessos de Adorinan estão os clássicos Trem das Onze, Samba do Arnesto, Saudosa Maloca, Iracema e Tiro ao Álvaro.
O Som Brasil vai ao ar hoje, à meia-noite, e será reprisado amanhã, às 19h, no Viva.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Dica de Quinta: Guerra dos Sexos


Interpretada pela banda The Originals, a música que hoje é o tema de abertura do remake da novela Guerra dos Sexos também ocupou o mesmo posto na versão original da trama, exibida pela Rede Globo em 1983. Na ocasião, a música era interpretada pelo grupo The Fevers.



Nos vídeos abaixo, as duas versões da música



terça-feira, 20 de novembro de 2012

Na Minha Estante: Dois pra lá, dois pra cá


Composta por João Bosco e Aldir Blanc, esse lindo bolero foi o responsável por consolidar a carreira da dupla, pois fez muito sucesso ao ser gravado por Elis Regina para o LP Elis, de 1974.
A intérprete chegou a dizer em uma entrevista que essa música lhe trazia lembranças da época em que foi crooner de conjunto musical em Porto Alegre. De fato, não poderia ser diferente, pois a letra de Dois pra lá, Dois pra cá narra a dança de um casal, provavelmente em um baile como os muitos nos quais a pimentinha cantou.
Ao que parece, a música, além de narrar uma dança, retrata também uma história de amor (a letra é profunda demais para se tratar de apenas um flerte), uma vez que algumas das reações do indivíduo descritas na letra, como, por exemplo, o coração acelerado por estar dançando com uma certa pessoa, indicam que este ser (provavelmente um homem) está apaixonado por sua parceira de dança, que usa um falso brilhante no dedo.
Entretanto, ao final da música não sabemos se o casal permaneceu junto ou não, pois a impressão que dá é que o homem está se lembrando da noite em que dançou com a amada enquanto está bêbado, chegando até mesmo a delirar que ela está lhe dizendo que “são dois pra lá, dois pra cá”.
E agora, vamos às curiosidades: Coincidentemente, o nome do LP que Elis Regina lançou depois do Elis (1974) é justamente Falso Brilhante, mas ele nada tem a ver com essa música. Entretanto, este foi de longe o maior sucesso de sua carreira, tanto que o show ficou mais de 14 meses em cartaz no Teatro Bandeirantes.


Comentário:

A música é realmente linda, tem uma melodia maravilhosa de ouvir, mas o que mais me encanta em Dois pra lá, Dois pra cá é o trecho final, que além de ser bem típico do bolero, ainda é cantado em um espanhol perfeito por Elis Regina: “Dejaste abandonada la ilusiona, que había en mi corazón por ti.”



segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Revivendo a Trilha: Pensando em você


Composta e interpretada por Paulinho Moska, a música foi lançada no CD Tudo novo de novo, de 2003. No mesmo ano, Pensando em você fez parte da trilha sonora da novela Agora é que são elas.

domingo, 18 de novembro de 2012

Momento Globo de Ouro: Volta pra mim


Composta por Cleberson Horsth e Ricardo Feghali, a música, que foi lançada no LP Herança, de 1987, é um dos maiores sucessos do grupo Roupa Nova, do qual os dois compositores fazem parte até hoje. 

Além de Volta pra mim, no vídeo abaixo tem outras duas músicas famosas do Roupa Nova, De volta pro futuro e Cristina (Para mim, essa música é a dona de uma das melhores melodias que o grupo já tocou nesses mais de 30 anos de carreira).

sábado, 17 de novembro de 2012

Semana Paulinho da Viola: Sinal Fechado


A última música da Semana Paulinho da Viola é uma das mais famosas de sua carreira. Composta por Paulinho da Viola, Sinal Fechado, apesar de ter sido composta no final da década de 1960, em um dos piores momentos da Ditadura Militar no Brasil, tem uma letra tão atual que poderia ter sido escrita nos dias de hoje.
Ela, que foi campeã do 5° Festival de Música Popular Brasileira, organizado pela TV Record em novembro de 1969, tem uma estrutura totalmente diferente da que estamos acostumados a ouvir, pois é feita em forma de diálogo. O motivo que a torna tão contemporânea é a situação descrita na música, que mostra dois indivíduos que vivem na correria do dia-a-dia e não tem tempo para mais nada por conta disso, exatamente como acontece hoje em dia.  

Viva reprisa Som Brasil que homenageou Dominguinhos


Exibido originalmente em 18 de junho de 2010, o programa que homenageou Dominguinhos contou com a presença de Zizi Possi, Paula Fernandes e do grupo Rosa de Pedra.
Entre os maiores sucessos do cantor, compositor e sanfoneiro pernambucano estão as músicas De volta pro aconchego, Isso aqui tá bom demais e Eu só quero um xodó.
O Som Brasil dedicado a Dominguinhos vai ao ar hoje, à meia-noite, e será reprisado amanhã, às 19h, no Canal Viva. 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Semana Paulinho da Viola: Recado


Composta por Paulinho da Viola e Casquinha, essa música trouxe para ele a oportunidade de fazer parte da ala de compositores da Portela, sua escola de samba de coração.
A música foi gravada por ele, juntamente com o conjunto A voz do morro, no LP Roda de Samba II, lançado em 1965.


Repeteco: Confins


Composta por Aldir Blanc, Ivan Lins e Vitor Martins, a música foi o tema de abertura da novela Renascer, que foi exibida originalmente pela Rede Globo em 1993 e está sendo reprisada pelo Canal Viva desde o início de novembro, às 16h15 de segunda à sexta-feira.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Semana Paulinho da Viola: Jurar com lágrimas


Composta por Paulinho da Viola, essa música foi gravada por ele em 1965, no LP Roda de Samba, quando ele fazia parte do conjunto A voz do morro junto com Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho, Zé Kéti, Anescarzinho do Salgueiro e Nelson SargentoPaulinho da Viola gravou Jurar com lágrimas também em 1970, no LP Foi um rio que passou em minha vida.





Dica de Quinta: Diário de um dia


Composta por Roberta Campos, a música faz parte do terceiro álbum da cantora, que também se chama Diário de um dia e foi lançado esse ano.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Semana Paulinho da Viola: Sei lá, Mangueira


Composta por Hermínio Bello de Carvalho em 1968, após visitar o Morro da Mangueira (e ficar encantado pelo lugar), a melodia dessa música foi feita por ninguém mais ninguém menos do que por Paulinho da Viola.
Aliás, Sei lá, Mangueira foi motivo de muita dor de cabeça para o nosso Príncipe do Samba, pois Hermínio a inscreveu no IV Festival de Música Popular Brasileira da TV Record. Como Paulinho da Viola é Portelense declarado, a inscrição de um samba composto por ele para a Mangueira caiu como uma bomba na Portela.
Entretanto, essa música também foi responsável pela criação de um dos maiores sucessos de Paulinho, pois para se redimir com sua escola de coração, ele compôs Foi um rio que passou em minha vida em homenagem a Portela.

Coluna Anos Dourados: Mamãe passou açúcar em mim


Composta por Carlos Imperial, essa música fez um grande sucesso quando foi lançada por Wilson Simonal em 1966, no compacto Vou deixar cair..., sendo uma das músicas mais famosas da carreira do cantor.
Esse ano, a música foi regravada por Tiago Abravanel para ser o tema de abertura do seriado Louco por Elas, exibido pela Rede Globo desde março deste ano.


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Semana Paulinho da Viola: Dança da Solidão

Composta por Paulinho da Viola, essa música fez parte do repertório do LP A dança da solidão, lançado por ele em 1972.

Na Minha Estante: Com a perna no mundo



Composta por Gonzaguinha, essa música é tocante pelo fato de retratar a infância que ele teve ao lado dos padrinhos Baiano do Violão e Dina no Morro São Carlos, no Rio de Janeiro, esta última chegando até mesmo a ser citada na letra.
Dentre as músicas de Gonzaguinha que estou acostumada a ouvir (acho que não é segredo pra ninguém que ele é um dos meus compositores favoritos), Com a perna no mundo nunca esteve entre as que eu mais ouvi, apesar de sua letra já ter me chamado a atenção antes por parecer um relato. Minhas suspeitas foram confirmadas recentemente, quando comecei a ler o livro Gonzaguinha e Gonzagão: uma história brasileira e me deparei com a descrição da infância do Gonzaguinha, que é exatamente a letra de desta música.  
Com a perna no mundo fez parte de Gonzaguinha da vida, LP lançado em 1979 e que foi responsável por fazer Gonzaguinha conquistar todas as classes sociais, ainda que a crítica especializada insistisse em chamá-lo de Brega.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Semana Paulinho da Viola: Pecado Capital


A música escolhida para ser postada no dia do aniversário do mestre tinha que ser no mínimo especial. Composta em 24 horas por Paulinho da Viola, esse foi primeiro samba a ser abertura de novela. Curiosamente, nome da novela também era Pecado Capital, exibida em 1975 pela Rede Globo e transformada em remake em 1998, trazendo a mesma música como tema de abertura.
Aliás, esta música tem outra curiosidade: apesar de essa ser uma das composições mais famosas de Paulinho da Viola, Pecado Capital não está em nenhum dos álbuns dele, estando somente em coletâneas lançadas após a novela. 

Revivendo a Trilha: Mais uma vez


Composta por Flávio Venturini e Renato Russo, a música foi gravada originalmente em 1987 pelo grupo 14 Bis. Entretanto, em 2003 foi lançado o álbum póstumo de Renato Russo, Presente, que consiste de gravações caseiras do cantor.
Entre as músicas encontradas nos arquivos pessoais do cantor e compositor está a versão dele de Mais uma vez, que além de ser o principal single do álbum foi escolhida para fazer parte da trilha sonora da novela Mulheres Apaixonadas, exibida pela Rede Globo também em 2003.  

domingo, 11 de novembro de 2012

Momento Globo de Ouro: Deslizes


Composta por Michael Sullivan, Paulo Massadas, Alan Menken e Howard Ashman, essa música fez parte do repertório do LP Romance no Deserto, lançado por Fagner em 1987 nos Estados Unidos e em 1989 no Brasil.
O disco não foi bem recebido pela crítica, que além de não gostar da participação dos compositores de Deslizes no álbum, rotulou o cantor de brega mais uma vez.



Momento Globo de Ouro: Infinita Highway


Um dos clássicos da década de 1980, a música composta por Humberto Gessinger fez parte do repertório do LP A Revolta dos Dândis, lançado pela banda Engenheiros do Hawaii em 1987.
Aliás, foi nesse disco que a banda e a crítica começaram a se desentender, pois começaram a chamar, entre outras coisas, a banda de elitista e facista por conta das várias citações de filósofos (geralmente franceses) contidas nas letras das músicas.

Semana Paulinho da Viola: Foi um rio que passou em minha vida


A primeira música da Semana Paulinho da Viola é um de seus sambas mais famosos, que foi lançado por ele em 1970 em homenagem à Portela, sua escola de samba de coração e também para reafirmar seu amor por ela, pois no ano anterior tinha composto o samba Sei lá Mangueira, em parceria com Hermínio Belo de Carvalho.

sábado, 10 de novembro de 2012

Viva homenageia os 70 anos de Paulinho da Viola


Parece que o viva gostou mesmo de reprisar os programas mais uma vez, pois o Som Brasil que será exibido hoje também já foi ao ar pelo canal. Apresentado por Camila Pitanga originalmente em 27 de novembro de 2009, o Som Brasil que o Viva reprisará hoje homenageará Paulinho da Viola, que completa 70 anos na próxima segunda-feira, dia 12.
Com mais de 45 anos de carreira, o carioca Paulo César Batista de Faria, também conhecido como o “Príncipe do Samba”, se tornou um famoso compositor de sambas como Sinal Fechado, Pecado Capital, Coisas do Mundo minha nega, Jurar com lágrimas, Foi um rio que passou em minha vida e várias outras músicas que o consagraram como um dos grandes nomes da música brasileira.
O Som Brasil: Paulinho da Viola, vai ao ar hoje, à meia-noite, e será reprisado amanhã, às 19h, no Viva.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Dica de Quinta: Querelas do Brasil


Depois de muita espera, a partir de amanhã o novo CD da cantora Maria Rita, Redescobrir, finalmente chega às lojas. Composta por Aldir Blanc e Maurício Tapajós, essa é uma das músicas mais emblemáticas da Música Popular Brasileira.
Com uma referência a outro grande clássico da MPB no título, Aquarela do Brasil, a música imortalizada na voz de Elis é uma feroz crítica à falta de valorização das belezas nacionais, que apesar de serem tantas acabam sendo duramente sufocadas pela cultura norte-americana.
Também conhecida como Querellas do Brasil, a música que mostra o quanto o Brasil precisa de ajuda pertence originalmente ao LP Tranversal do Tempo, lançado por Elis Regina em 1978.
E agora, 34 anos depois, Querelas do Brasil é uma das 28 faixas do CD Redescobrir, no qual Maria Rita interpreta alguns dos grandes sucessos de sua mãe de forma tão emocionada quanto a própria fazia.

Os fãs da Maria Rita que me desculpem, mas simplesmente não dá para falar em Querelas do Brasil sem postar esse vídeo. 

E agora, para a felicidade geral dos Bacanudos, a cantora:

Na Minha Estante: Thriller




Composta por Rod Temperton, a música que a princípio iria se chamar Starlight, tornou-se uma das mais famosas de Michael Jackson. Lançada juntamente com o álbum Thriller, em 1982, esse foi justamente o último single do álbum a ser lançado.

Revivendo a Trilha: Metade


Composta por Adriana Calcanhotto, essa música foi o tema da personagem Babalu, uma das protagonistas da novela Quatro por Quatro, exibida pela Rede Globo em 1994, mesmo ano em que a música foi lançada no CD A fábrica do poema

Novembro no Vitrine MPB

Primeiramente, quero avisar que o blog ficou parado esses dias porque estou com Catapora, mas como estou melhorando, vou tentar repor os posts dessa semana mesmo que não consiga todos).

  • Esse mês tem homenagem a um grande sambista brasileiro: Paulinho da Viola, que completa 70 anos  a próxima segunda, dia 12. Por conta disso, semana que vem tem a Semana Paulinho da Viola (aquele mesmo esquema de postar uma música por dia) e no fim do mês o Perfil sobre ele.
  • Além disso, a última matéria de Jornalismo Online já está no ar, quem quiser pode ver aqui. Em breve decidirei se essa seção continua aqui no blog.
  • Já está no ar também o Perfil do Milton Nascimento (foi postado no fim de outubro), quem quiser pode ver aqui 

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Dica de Quinta: Ainda Lembro


Composta por Marisa Monte e Nando Reis, a música fez parte do álbum Mais, lançado por Marisa em 1991. Além disso, a música contou com a participação de Ed Motta.