quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Dica de Quinta: O mundo é um moinho


Composta por Cartola, esse lindo samba-canção foi lançado no álbum Cartola II, em 1976. Entre as regravações mais famosas de O mundo é um moinho estão as de Beth Carvalho, Cazuza e Ney Matogrosso, sendo que esta última inclusive faz parte da trilha sonora da novela Lado a Lado.  


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Coluna Anos Dourados: Hino ao Amor


Com o título original de Hymme à L’amour, a música composta por Edith Piaf e M. Monnot ganhou uma versão brasileira, composta por Odayr Marsano. Em 1959, o samba-canção foi gravado por Maysa, já conhecida na época por interpretar esse estilo de música, no LP Maysa É Maysa... É Maysa, É Maysa!Em 2009, a música fez parte da minissérie Maysa: Quando fala o coração.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Perfil: Djavan


Conhecido como um dos artistas que mais tem belas composições na música popular brasileira, pouca gente imagina que aquele Djavan cujo nome associamos quase mecanicamente às músicas Oceano e Meu bem Querer poderia ter seguido uma carreira bem distante da música: jogador de futebol. Ainda adolescente,  Djavan Caetano Viana foi demonstrando que tinha habilidade para o futebol, tanto que tornou-se meio-campo do CSA. Entretanto, a paixão pela música, cujo incentivo veio do pai de um amigo de escola, acabou tornando-se mais forte.   
Considerado um dos principais nomes da MPB, o cantor e compositor Djavan emplacou vários sucessos durante os seus praticamente 40 anos de carreira. Entre as músicas de novela mais conhecidas em sua voz estão clássicos como Meu Bem Querer (Coração Alado e Meu Bem Querer), Oceano (Top Model), Nem um dia (Por Amor), Sina (Belíssima) e muitas outras lindas canções.
Além do sucesso ao participar de trilhas de novelas, Djavan emplacou outros sucessos com o passar dos anos, como o samba Fato Consumado (com a qual ficou em segundo lugar no Festival Abertura, exibido pela Rede Globo em 1975, quando ainda estava no início da carreira), Flor de Lis, Se, Samurai, Superfantástico, Lilás etc.
Depois de 18 CDs, em 2010 Djavan lançou Ária, um álbum no qual interpretava somente músicas de outros compositores, gravando músicas famosas de Caetano Veloso (Oração ao Tempo), Gilberto Gil (Palco), Cartola (Disfarça e Chora), Luiz Gonzaga (13 de dezembro), Tom Jobim e Vinícius de Moraes (Brigas nunca mais) e até mesmo uma canção imortalizada na voz do grande Frank Sinatra, Fly me to the moon.


Revivendo a Trilha: O último dia


Composta por Billy Brandão e Paulinho Moska, a música faz parte do álbum Pensar é fazer música, lançado por Paulinho Moska em 1995. No ano seguinte, O último dia foi o tema de abertura da novela O fim do mundo, de Dias Gomes. 



sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Repeteco: Além do Olhar


Composta Paulo Henrique e Paulinho Soledade, a música foi interpretada por Ivo Pessoa na abertura da novela O Profeta, de 2006, cuja reprise começará a ser apresentada pela Globo na semana que vem.  


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Dica de Quinta: Ainda é Cedo


Composta por  Dado Villa-Lobos, Renato Russo, Marcelo Bonfá e Ico Ouro-Preto, a música, dedicada a uma ex-noiva de Renato Russo que o abandonou por não conseguir lidar com o temperamento difícil dele, foi lançada no álbum Legião Urbana, de 1985.


Coluna Anos Dourados: Construção

Composta por Chico Buarque, Construção é uma das músicas mais famosas do cantor, que a lançou no LP Construção, em 1971, um dos anos da década de 1970 em que a Ditadura Militar estava mais violenta.
Com uma letra carregada de proparoxítonas no fim dos versos e contando uma história trágica e simples, a música mostra um trabalhador humilde cuja única serventia é trabalhar, pois a partir do momento que o sujeito despenca da coinstrução e morre, ele passa a ser apenas um estorvo para o trânsito. Sendo assim, fica claro na letra uma crítica ao capitalismo.
Além disso, essa canção é a prova de que a música não precisa ter uma letra cheia de palavras empoladas ou então uma história complicada, pois uma história como a contada em Construção é inclusive mais fácil de o público se identificar, uma vez que o personagem poderia realmente existir em qualquer lugar do mundo.
A simplicidade desse grande sucesso de Chico Buarque foi tão reconhecida que por duas vezes a música esteve entre as melhores canções brasileiras de todos os tempos: Em 2001, a enquete feita pelo jornal Folha de S. Paulo apontou Construção como a segunda melhor canção brasileira de todos os tempos, perdendo apenas para a espetacular Águas de Março, de Tom Jobim. Já em 2009, a música ficou em primeiro lugar na votação realizada pela edição brasileira da revista Rolling Stone que escolheu a melhor música brasileira de todos os tempos.
Aliás, 1 ano antes da votação da Rolling Stone, a música fez parte da trilha sonora da minissérie Queridos Amigos (na minha opinião, uma das melhores minisséries que a Globo já exibiu, principalmente em termos de trilha sonora).  




terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Na Minha Estante: Papel Machê


Composta por João Bosco e José Carlos Capinam, a música foi lançada no LP Gagabirô, de João Bosco, em 1984. No mesmo ano, Papel Machê fez parte da trilha sonora da novela Corpo a Corpo.


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Revivendo a Trilha: Palpite


Composta e interpretada por Vanessa Rangel, Palpite fez parte da trilha sonora da novela Por Amor em 1997, mesmo ano em que foi lançado o primeiro CD de Vanessa Rangel (do qual a música faz parte), que leva o nome da cantora. Em 2010, o grupo Sambô regravou essa música.



domingo, 17 de fevereiro de 2013

Momento Globo de Ouro: Noturno (Coração Alado)


Composta por Graco e Caio Sílvio, Noturno foi lançada por Fagner no álbum Beleza, em 1979. No ano seguinte, a música fez parte da trilha sonora da novela Coração Alado, escrita por Janete Clair.



sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Repeteco: Você me vira a cabeça

Composta por Chico Roque e Paulo Sergio Valle, Você me vira a cabeça fez parte do CD Alcione Ao Vivo 2, de 2003. No ano seguinte, a música fez parte da trilha sonora da novela Da Cor do Pecado.





quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Dica de Quinta: Devagar, Devagarinho


Em homenagem a Vila Isabel, que conquistou merecidamente o posto de campeã do Carnaval Carioca e também ao Martinho da Vila, que completou 75 anos na terça, dia 12, e eu não postei nada porque não sabia, a música de hoje é um grande sucesso da carreira dele.
Composta por Eraldo Divagar, Devagar, Devagarinho foi lançada por Martinho da Vila em 1995, no álbum Tá delícia, Tá gostoso.  

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Coluna Anos Dourados: No Mexe-Mexe, No Bole-Bole


Composta por Dudu Nobre, No Mexe-Mexe, No Bole-Bole foi lançada no primeiro CD do cantor e compositor, em 1999, cujo título também era Dudu Nobre. No ano seguinte, a música fez parte da trilha sonora da minissérie Aquarela do Brasil.


Crítica da Semana Especial de Carnaval – Parte 2


Um dia depois de conhecermos a Campeã do Carnaval Paulista, que novamente foi a Mocidade Alegre, finalmente chegou a hora de sabermos quem será a Campeã do Carnaval do Rio Janeiro. A apuração, que começa daqui a pouco, é esperada com muita ansiedade e desconfiança, já que muita gente tem medo de que os jurados ignorem os erros que a Beija-Flor cometeu durante o desfile e deem um título injusto para ela mais uma vez.   
Caso esse ano a justiça seja feita, a briga pelo título se resume a duas escolas: Salgueiro e Vila Isabel. No ano em que a Academia completa 60 anos, ela merece ser a campeã porque além de fazer um desfile espetacular, foi duramente prejudicada no ano passado, sendo a vice-campeã enquanto a Unidos da Tijuca levava um título que, na opinião de muitos, não foi merecido. Já a Vila Isabel, que não é das minhas preferidas, realmente fez um desfile impecável, por isso acredito que ela pode ganhar.
Além das duas favoritas, escolas como Mocidade, Portela e União da Ilha estão merecendo boas posições esse ano, pois além de terem feito bons desfiles, as três não tem ficado em boas posições nos últimos anos. Aliás, a União da Ilha fez, na minha opinião, o melhor desfile da segunda feira, homenageando o poetinha (Vinícius de Moraes) no ano de seu centenário.
E apesar do claro pouco caso que a Globo fez com seus desfiles, Inocentes de Belford Roxo e São Clemente se saíram bem, mas acredito que uma das duas pode ser mandada para o Grupo de Acesso.
Por outro lado, fiquei muito triste com o que aconteceu com a Tijuca esse ano. Um carnavalesco do naipe de Paulo Barros não merecia tantos problemas, já que nos últimos anos a Tijuca tem sido uma das melhores do Grupo Especial. Outra que, apesar de não gostar, eu fiquei muito sentida foi a Mangueira, que apesar de toda a sua excelência e tradição, não anda numa boa fase. Espero que o estouro de tempo da Mangueira não lhe renda uma vaga no grupo de acesso, porque a escola não merece.
Já para o posto de campeã, apesar de torcer pelo Salgueiro sempre, acredito que existe a possibilidade de ter uma disputa bem acirrada com a Vila, o que pode transformar a escola da terra de Noel Rosa na campeã do carnaval. Mas, ainda assim existe uma grande chance do Salgueiro levar seu décimo título.  


terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Na Minha Estante: O Canto da Cidade


Composta por Daniela Mercury e Tote Gira, a música foi lançada no segundo álbum de Daniela Mercury, O Canto da Cidade, em 1992.


Crítica da Semana Especial de Carnaval – Parte 1



Daqui a pouco, começa a apuração das Escolas de Samba de São Paulo, que esse ano não contará com a presença do público no Sambódromo do Anhembi e terá a segurança bem reforçada por conta do tumulto do ano passado, quando rasgaram as notas e torcidas enfurecidas saíram destruindo tudo o que viram pela frente.
Esse ano, algumas das possíveis candidatas à vitória são a atual campeã, Mocidade Alegre, que falou sobre a sedução, Rosas de Ouro, que levou as festas mais populares do mundo para a avenida, a Mancha Verde, que homenageou o inesquecível Mário Lago e a Vai-Vai, que homenageou os vinhos brasileiros.
Ainda correm por fora por terem feito bons desfiles a Acadêmicos do Tatuapé, que fez um lindo desfile sobre Beth Carvalho e a Gaviões da Fiel (essa escola sempre é prejudicada pelos jurados em algum momento, e pra mim isso tem a ver com o Corinthians), que esse ano falou sobre a publicidade. Além delas há também a Águia de Ouro, que eu acho que apesar de ter homenageado João Nogueira infelizmente não escapa do rebaixamento esse ano.
Já para o posto de Campeã do Carnaval Paulista, eu aposto em Rosas de Ouro ou Mancha Verde, sendo esta última a escola que mais gostei esse ano. A apuração começa às 16h (Horário de Brasília).

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Revivendo a Trilha: Liberdade! Liberdade! Abra as asas sobre nós


Diferentemente das músicas que eu posto nessa coluna, a música de hoje não é de uma novela que já acabou, e sim de uma que ainda está no ar e que tem tudo a ver com essa época do ano: o tema de abertura da novela Lado a Lado.
Composto por Niltinho Tristeza, Preto Jóia, Vicentinho e Jurandir, talvez esse seja o samba mais famoso da grande Imperatriz Leopoldinense, que ganhou o carnaval de 1989 ao homenagear o centenário da República com ele, que é considerado até hoje o melhor samba da história do Carnaval Carioca. Aliás, para quem quiser ver a Imperatriz na Sapucaí, a escola de Ramos desfila hoje na segunda noite de desfile do Grupo Especial do Rio de Janeiro.



No vídeo abaixo, um compacto do histórico desfile de 1989, no qual a Imperatriz levou o belíssimo samba Liberdade! Liberdade! Abra as asas sobre nós para a Marquês de Sapucaí.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Momento Globo de Ouro: Amor Bandido


Composta por Michael Sullivan e Paulo Massadas, a música foi lançada por Joanna em 1988, no LP Joanna. No mesmo ano, a música fez parte da trilha sonora da novela Bebê a Bordo.


Crítica da Semana: Globo corta Desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro



A cada ano que passa, a Globo consegue se superar de forma negativa nessa época do ano. Desta, parece até brincadeira, mas é verdade: a emissora vai deixar de exibir o desfile da primeira escola de samba de hoje e de amanhã, que só acontece uma vez por ano, para exibir a sua gloriosa programação, que consiste do “super” programa Fantástico, do grande sucesso de audiência Salve Jorge e o mega programa educativo Big Brother Brasil.
Desses três programas (in)dispensáveis para que o público consiga sobreviver, juro que não sei qual deles é o pior, mas isso pouco importa, pois o pior mesmo é a tremenda falta de respeito com as duas escolas que abrirão os desfiles do Rio domingo e segunda-feira , Inocentes de Belford Roxo e São Clemente. No caso desta última a situação é muito pior, pois a escola irá homenagear as novelas da própria Globo! Sinceramente, Qual era o problema de antecipar a novela, o BBB e o Fantástico, coisa que a emissora faz desde que me entendo por gente? Ou será que vai cortar a exibição ao vivo porque nenhuma das duas escolas é a Beija Flor, queridinha da Globo desde sempre? Queria ver se eles iam gravar o desfile e passar por último se a primeira escola fosse a Beija Flor, que todo ano vai aos programas de sua emissora madrinha nessa época do ano...
Só espero que essa seja a única injustiça cometida contra essas escolas que não são tão grandes quanto as outras do Grupo Especial, mas que devem ser igualmente respeitadas, pois o trabalho para levar o desfile à avenida é exatamente o mesmo. E mais: apesar de torcer declaradamente para o Salgueiro, eu adoraria que uma dessas duas que a Globo não vai exibir o desfile ao vivo fosse a campeã do Carnaval Carioca, principalmente a São Clemente, que vai homenagear as novelas e a emissora está claramente fazendo pouco caso, só para a toda poderosa quebrar a cara e aprender a não fazer pouco de nenhuma escola de samba do Rio de Janeiro nunca mais.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Repeteco: Te levar


Composta por Chorão, essa música, que foi lançada pela banda Charlie Brown Jr em 1999, no CD Preço Curto... Prazo Longo, foi durante 7 anos (de 1999 a 2006) o tema de abertura da novela Malhação.



quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Dica de Quinta: Retalhos de Cetim


Composta por Benito di Paula, Retalhos de Cetim foi lançada em 1973, no LP Um novo samba. Em 2010, o grupo de Samba Rock Sambô lançou uma versão dessa música no álbum Sambô


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Coluna Anos Dourados: Ó Abre Alas


Pelo fato de estarmos a poucos dias do Carnaval, a música de hoje consegue traduzir perfeitamente o clima de festa que essa época do ano geralmente traz. Essa marchinha, que é até hoje o símbolo do Carnaval do Rio de Janeiro, é a composição mais famosa de uma grande mulher que esse país teve: Chiquinha Gonzaga.
Composta pela maestrina e pianista em 1899 para o cordão carnavalesco Rosa de Ouro, Ó Abre Alas não foi só um sucesso no Carnaval daquele ano como também nos seguintes, sendo hoje em dia uma das marchinhas de carnaval mais lembradas, principalmente por ter sido a primeira música desse gênero a ser composta. 


terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Música no Cinema: Dancing Queen

O filme deste mês provavelmente tem a trilha sonora mais diferente de todos os que eu já postei aqui, pois todas as músicas são de uma mesma banda: o filme Mamma Mia. Inspirado no musical e em uma música de mesmo nome, esse filme teve Meryl Streep no papel principal, que, aliás, deu um show cantando as músicas do ABBA, especialmente Dancing Queen.
Composta por Benny Andersson, Björn Ulvaeus e Stig Anderson, a música é um dos maiores sucessos do grupo sueco ABBA, que durante as décadas de 70 e 80 emplacaram várias músicas nas paradas de sucesso, sendo que algumas delas se tornaram tão inesquecíveis como Dancing Queen e Mamma Mia. A música foi lançada em 1976, no álbum Arrival.

Versão do Filme Mamma Mia


Versão Original




Na Minha Estante: Codinome Beija-Flor



Composta por Reinaldo Arias, Howard Ashman, Cazuza e Ezequiel Neves, a letra de uma das mais belas músicas de Cazuza foi escrita por ele em uma cama de hospital, pois via beija-flores em sua janela.
Codinome Beija-Flor foi lançada por Cazuza no LP Exagerado, de 1985, o primeiro após sua saída da banda Barão Vermelho. Em 1989, a música fez parte de outro LP de Cazuza, O Tempo não para.



segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Revivendo a Trilha: Para tu amor


Composta por Juanes, esta linda música interpretada por Juanes fez parte da trilha sonora da novela Páginas da Vida, exibida em 2006 pela Rede Globo, como tema do casal interpretado por Thiago Lacerda e Grazi Massafera.


domingo, 3 de fevereiro de 2013

Enquete Perfil



Vote em quem eu devo falar na Coluna Perfil do mês de Fevereiro: Cazuza, Djavan, Wando, Chico Buarque, Maria Bethânia ou Chiquinha Gonzaga? Caso tenham outra sugestão, postem nos comentários deste post.

A enquete está no canto esquerdo da página e vocês tem até dia 17 para votar!

Momento Globo de Ouro: Fera Radical


Aproveitando que o vídeo show esta reprisando a novela Fera Radical, essa semana a coluna Momento Globo de Ouro uma das músicas da trilha sonora dessa novela, que inclusive apareceu no episódio do programa Globo de Ouro que o Canal Viva exibiu ontem.
Composta por Lincoln Olivetti, Solange e Maria Carmem Barbosa, a música interpretada por Solange foi o tema de abertura da novela Fera Radical, exibida em 1988, e que é bastante lembrada por ter sido a última novela da grande atriz Yara Amaral, que morreu no naufrágio do barco Bateau Mouche no réveillon de 1988 para 1989.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Crítica da Semana: Anos Dourados e Anos Rebeldes: Décadas distintas sob a ótica de Gilberto Braga


Deve ser no mínimo intrigante para quem assistiu as duas minisséries saber que, apesar de se passarem em épocas tão próximas e tão distintas, elas foram escritas pelo mesmo autor.
As duas minisséries, que foram exibidas em um espaço de 6 anos, abordam as décadas de 1950 e 1960. Enquanto a tensa e idealista Anos Rebeldes, que foi exibida no início da década de 1990, tinha como pano de fundo os anos mais truculentos da Ditadura Militar no Brasil, Anos Dourados, que foi ao ar alguns anos antes, abordou a década de 1950 dando destaque ao glamour da época, mostrou também a repressão das famílias mais conservadoras e os desejos dos jovens de que a próxima década fosse melhor (o que acabou não sendo realizado). Por conta disso, é possível até dizer que Anos Rebeldes é uma continuação de Anos Dourados, pois além de ter sido exibida depois, ainda retratava a década seguinte da minissérie anterior.
Ao escrever esses dois maravilhosos trabalhos em tão pouco tempo (Anos Dourados foi ao ar em 1986 e Anos Rebeldes em 1992), Gilberto Braga não só mostrou sua imensa versatilidade como autor como também deixou que o público conhecesse outro lado seu: o de produtor musical. Ele, que ficou responsável pela trilha sonora das duas minisséries, selecionou verdadeiras pérolas da música para embalar os personagens das histórias.
Em Anos Dourados, a trilha sonora começou dando um show já com o tema de abertura, a versão instrumental da belíssima música Anos Dourados, de Tom Jobim e Chico Buarque, uma dupla que dispensa comentários. Além dessa, a trilha de Anos Dourados trouxe outras músicas igualmente belas, como Tu me acostumbraste, Alguém como tu e Por causa de você.
Já em Anos Rebeldes, o sucesso da trilha sonora não foi diferente. Reunindo músicas das décadas de 1960 e 1970, além de ter como tema de abertura a música Alegria Alegria, de Caetano Veloso, Anos Rebeldes teve cenas embaladas por algumas das músicas mais famosas da época em que a história se passava, Can’t take my eyes of you, Soy loco por ti América, Call me, Guantanamera e Baby

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Repeteco: Coração Pirata


Composta por Nando e Aldir Blanc, Coração Pirata foi lançada no oitavo LP do grupo Roupa Nova, Frente e Versos, lançado em 1990.
No mesmo ano, a música foi o tema da protagonista da novela Rainha da Sucata, interpreta por Regina Duarte.