sábado, 31 de março de 2012

Dominguinhos é o homenageado do Som Brasil de hoje

O cantor e compositor pernambucano estará no palco do Som Brasil para relembrar sucessos que emplacou durante esses quase 50 anos de carreira. Entre suas músicas mais famosas estão clássicos como De volta pro meu aconchego, Isso aqui ta bom demais, Contrato de separação e Dedicado a você.
Além dele, Paula Fernandes, Zizi Possi e outros cantores participarão da homenagem a esse grande nome da música, que foi ao ar originalmente pela Rede Globo em 18 de junho de 2010.
Apresentado por Camila Pitanga, o Som Brasil vai ao ar daqui a pouco, às 23h, e será reprisado amanhã, às 18h, no Viva.

Repeteco: Oceano


Considerado até hoje como um dos maiores sucessos de Djavan, essa música foi lançada no nono álbum da carreira dele, de 1989, que também se chama Oceano.
Entretanto, quem gosta desse clássico da MPB provavelmente nem desconfia de que uma parte da melodia dessa música passou um bom tempo abandonada em uma fita k7. O motivo pelo qual isso aconteceu foi que, com a intenção de fazer uma música em espanhol no estilo flamenco (ou algo que se aproximasse disso), Djavan acabou desistindo da ideia de transformar aquela melodia em uma música, voltando a mexer nela tempo depois, ao receber o incentivo da filha.
Logo depois do lançamento do álbum, a música se transformou em um sucesso tão grande que acabou se tornando a trilha sonora dos protagonistas da novela Top Model, que estreou ainda em 1989. Por mais incrível que pareça, Oceano combina tanto com a história água com açúcar e super dramática dos personagens que até parece ter sido composta para eles.
Para quem quiser assistir os personagens de Malu Mader e Taumaturgo Ferreira sofrendo ao som de Djavan, assistam Top Model, que passa de segunda à sexta, às 15h30 e com reprise à 1h15, no Viva.



quinta-feira, 29 de março de 2012

Dica de Quinta: Recomeçar

Tema de uma das protagonistas da novela A vida da gente, que terminou há pouco tempo (e que foi de longe uma das melhores músicas dessa novela), a canção foi interpretada de uma forma bem leve por Tânia Mara também em seu CD Acústico, de 2011.
Falando sobre o quanto é difícil recomeçar, a música combina perfeitamente com a personagem cujas cenas embalava, uma vez que Ana, após sofrer um acidente de carro, havia passado alguns anos em coma e, ao acordar, precisou se adaptar a todas as mudanças que haviam ocorrido durante esse tempo e recomeçar sua vida.




terça-feira, 27 de março de 2012

Renato Russo: Um ídolo nunca esquecido


Considerado dos precursores do Rock Nacional, hoje o líder da Legião Urbana, que foi uma das melhores bandas dos anos 80, faria 52 anos. Inclusive, esse assunto já foi motivo de revolta no twitter, uma vez que o apresentador Danilo Gentili não tinha mais o que fazer e acabou fazendo uma piada relacionada à causa da morte do cantor, o que naturalmente provocou a ira de fãs do Legião Urbana.

Entre os maiores sucessos de Renato Russo estão Tempo Perdido, a clássica Eduardo e Mônica, Que País é Esse?, Será?, Pais e Filhos, Ainda é Cedo e várias outras, que até hoje são facilmente encontradas em trilhas sonoras de novelas e minisséries.


Música no Cinema: Uma Linda Mulher


O filme que escolhi para esse mês é um dos clássicos do cinema americano (e um dos meus preferidos também): Pretty Woman, cuja tradução em português é Uma Linda Mulher.
Protagonizado por dois do primeiro time de astros de Hollywood, Julia Roberts (até então desconhecida) e o eternamente charmoso Richard Gere, o filme, que contava a história de amor entre uma prostituta e um empresário bem sucedido no maior estilo conto de fadas, foi um grande sucesso dos anos 90, rendendo até o Oscar de melhor atriz para Julia Roberts em 1991.
Entretanto, uma parte do filme merece destaque: a trilha sonora, especialmente a música principal, “Oh, Pretty Woman”, de Roy Orbison e  “It Must Have Been Love ”, da dupla Roxette, são de muito bom gosto, tanto que se tornaram hits daquela época e permanecem na memória do público mesmo mais de 20 anos do lançamento do filme.

Julia Roberts e Richard Gere foram os protagonistas desse grande sucesso do cinema.


domingo, 25 de março de 2012

Na Minha Estante: Fio Maravilha


Como vai começar agora o Som Brasil em homenagem a Jorge Ben Jor no Viva, eu escolhi para o Na Minha Estante de hoje uma de suas músicas mais famosas: Fio Maravilha.

Composta Jorge Ben Jor quando ele ainda era conhecido como Jorge Ben, essa música foi lançada no LP Ben, de 1972, consagrando – se a campeã do sétimo Festival Internacional da Canção, cuja última edição foi justamente naquele mesmo ano de 1972.

Para que não sabe, ela também ficou conhecida como “Filho Maravilha” por conta de problemas jurídicos entre o compositor da música e seu homenageado, João Batista de Sales, que na época da composição jogava no Flamengo e era chamado de Fio Maravilha. O ex - jogador de futebol só voltou a autorizar que Jorge Ben Jor  usa-se o título original da canção em 2007.





sexta-feira, 23 de março de 2012

Repeteco: Chocolate com Pimenta

Música de abertura da novela que leva o mesmo nome, a música, interpretada por  Deborah Blando, voltou à tela da Rede Globo esse mês, uma vez que Chocolate com Pimenta está de volta ao Vale a Pena Ver de Novo.
Com um título que já é chamativo por si só, Chocolate com Pimenta se diferencia de grande parte dos temas de abertura tradicionais pelo fato de ter uma letra que fala das diferenças que existem, mas que em vez de provocar o afastamento dos opostos, na verdade acaba confirmando a tese de que eles não só se atraem como também se completam.



quinta-feira, 22 de março de 2012

Dica de Quinta: País Tropical

Em homenagem ao cantor Jorge Ben Jor, que hoje completa 67 anos, hoje vou falar de uma de seus maiores sucessos: País Tropical.
Composta pelo próprio Jorge Ben Jor, a música, que é uma homenagem ao Brasil, foi lançada como single do álbum que levava o nome do cantor, em 1969, se transformando rapidamente no maior sucesso desse cantor e compositor carioca até então.
Além da versão feita por ele (que com certeza é a mais famosa até hoje), a música também foi gravada por outros cantores famosos, como Wilson Simonal, Gal Costa, Maurício Manieri, Daniela Mercury e Ivete Sangalo.



segunda-feira, 19 de março de 2012

Perfil Março: Maria Gadú


Conhecida como Maria Gadú, Mayra Corrêa Aygadoux é uma das mais bonitas vozes da nova geração da MPB. Compôs sua primeira música, Shimbalaiê, aos 10 anos e começou sua carreira no mundo da música aos 13 , quando começou a fazer shows em bares e em festas de família em sua cidade natal, São Paulo, mas foi só em 2008 que sua carreira começou deslanchou de verdade.
Aos 21 anos, mudou-se para o Rio de Janeiro e começou a se apresentar em bares da Tijuca e da Zona Sul da cidade, despertando assim a atenção de nomes consagrados da MPB como Milton Nascimento e Caetano Veloso.
Curiosamente, seu primeiro grande sucesso não foi com uma composição sua, e sim com uma canção que é considerada um clássico: Ne me quitte pas. Eternizada na voz Maysa, a música rendeu a Maria Gadú sua primeira participação em trilha sonora, justamente na minissérie que homenageava Maysa, que foi ao ar em janeiro de 2009 pela Rede Globo.
Ainda no ano de 2009, a primeira composição de sua vida, Shimbalaiê, foi escolhida para fazer parte da trilha sonora de uma novela no horário nobre, Viver a Vida, e, além disso, Gadú foi escolhida para gravar A história de Lily Braun, que foi o tema de abertura da minissérie Cinquentinha e regravou Ne me quitte pas, que também foi incluída na trilha dessa minissérie.
Desde então, recebeu duas indicações para o Grammy Latino como Melhor Artista Revelação e Melhor Álbum de Cantor/ Compositor e gravou 4 cds, sendo um deles a gravação de um show  estrelado por ela e Caetano Veloso, que também rendeu um DVD.
Entre suas interpretações que fizeram mais sucesso estão Ne me quitte pas, Shimbalaiê, A história de Lily Braun, Rapte-me Camaleoa e Oração ao Tempo, que foi o tema de abertura da novela A vida da gente, cuja exibição chegou ao fim recentemente.

domingo, 18 de março de 2012

Na Minha Estante: Pra você eu digo sim

Depois de muito tempo, ontem eu vi o vídeo da interpretação de Pra Você Eu Digo Sim no Fama 3 e me apaixonei de novo. Quem a ouviu  na voz da dupla de Cídia e Dan ou na de Rita Lee nem imagina que ela é uma versão de If I Fell, gravada simplesmente pelos Beatles. Composta por John Lennon e Paul McCartney, essa música foi lançada pelos garotos de Liverpool em 1964, no álbum A Hard Day’s Night.  
Mais de 35 anos depois, foi a vez de Rita Lee revisitar seus ídolos da adolescência ao dedicar um álbum de sua carreira, o Aqui, Ali, Em qualquer outro lugar (Bossa’n Beatles), de 2001, a músicas dessa banda, que se não for a mais famosa do mundo é uma das mais conhecidas.
Em meio a clássicos como Lucy In The Sky With Diamonds, Michelle e In My Life, lá estava não só a conhecida If I Fell como também a versão em português, dessa linda música, feita pela própria Rita Lee, que a batizou de Pra você eu digo sim.
Em 2004, a dupla Cídia e Dan, do Fama 3, interpretou a versão de Rita Lee em uma das provas do reality show, fazendo bastante sucesso posteriormente ao gravarem músicas românticas como essa. Os dois continuaram com a dupla durante 3 anos, emplacando várias músicas em trilhas sonoras de novelas da Rede Globo. 

Abaixo, estão os vídeos das três interpretações inesquecíveis dessa música:

Versão Original, If I Fell, dos Beatles, dos eternos (e incríveis) Garotos de Liverpool.


A versão brasileira de Rita Lee:

 

E essa é a minha versão preferida, a de Cídia Luize e Dan Torres no Fama 3, em 2004.

 

Enquete Sobe o Som


Pessoal, votem na enquete que vai escolher qual dessas 5 eu devo fala na coluna Sobe o Som:  Linha Tênue,  Memória do Prazer, Pavilhão de Espelhos, Reza ou Reis e Ratos.
A enquete está do lado esquerdo da página e, quem quiser sugerir outra música, poste aqui nos comentários. A enquete vai até Domingo à Tarde!

Crítica da Semana: Propaganda Viva Elis

Na última terça, a Nívea lançou a nova propaganda da empresa. Entretanto, o que mais chamou a atenção não foi a divulgação dos produtos e sim a presença de Maria Rita, que daqui a poucos dias começará uma série de shows cantando sucessos de sua mãe.
A palavra que pode definir perfeitamente o vídeo dessa campanha, que além de fazer propaganda dos produtos também tem como objetivo divulgar o projeto Viva Elis, que consiste em cinco shows, uma exposição itinerante e uma biografia, é emoção, pois agora Maria Rita finalmente poderá ser Elis sem perder sua identidade.
Para ela, talvez esse ainda seja o maior desafio de sua vida, já que durante anos ela renegou seu desejo de cantar porque não queria ser vista como “aquela que veio ocupar o lugar da mãe”, tanto que mudou-se para os Estados Unidos ainda adolescente para conseguir viver sua própria vida e fugir da pressão para que fosse cantora. E foi só longe do Brasil e da sombra da mãe famosa que ela percebeu que realmente queria cantar.
Após quase 10 anos de carreira, ela finalmente tem condições de interpretar as músicas da mãe porque os fãs de Elis já tiveram provas suficientes de que ela não é a continuação da mãe dela e também já mostrou a todos que, ao contrário de outros cantores existem por aí, ela teve talento suficiente para construir uma carreira sólida sem usar a fama de seus parentes.
No vídeo da campanha, enquanto várias mulheres aparecem usando os produtos da marca, ao fundo é possível ouvir a já tocante Fascinação, que conseguiu a proeza de se tornar uma música mais emocionante ainda na versão feita por Maria Rita, que é simplesmente a filha do mito que transformou essa música em um clássico da MPB.
Ao final do vídeo, aparece Maria Rita para reforçar a propaganda da nívea, e aí podemos ver que ela está com os olhos levemente marejados, o que deixa registrado o quanto mexe com ela cantar uma música eternizada na voz da mãe, com a qual ela não teve a oportunidade de conviver muito, pois a perdeu quando tinha apenas 4 anos.

sábado, 17 de março de 2012

Viva exibe Som Brasil: Adoniran Barbosa

Daqui a pouco, o Viva reprisará o Som Brasil em homenagem ao pai do samba paulista, Adoniran Barbosa. Exibido originalmente em 30 de abril de 2010, a atração contou Arnaldo Antunes, os Demônios da Garoa, Céu e o Rapper Renegado para cantar os grandes sucessos do sambista paulistano.
Entre os grandes sucessos de Adorinan que foram interpretados no programa estão os clássicos Trem das Onze, Samba do Arnesto, Saudosa Maloca, Iracema e Tiro ao Álvaro.
O Som Brasil vai ao ar hoje, às 23h e será reprisado amanhã, às 18h, no Viva.

O Aniversário da Pimentinha


Se estivesse viva, hoje Elis Regina faria 67 anos. Mesmo depois de 30 anos de sua morte, é incrível como essa mulher continua sendo uma figura presente até na memória daqueles que não tiveram a oportunidade de conhecê-la enquanto ela estava viva.
Em homenagem a essa data e também aos 30 anos de sua partida, que se completaram em janeiro desse ano, no próximo sábado será realizado o primeiro show do projeto Viva Elis, patrocinado pela Nívea, cuja primeira apresentação será justamente em Porto Alegre, cidade natal da cantora.


O vídeo abaixo mostra uma das melhores apresentações da eterna Doce Pimenta no Festival de Jazz em Montreux, cuja noite brasileira foi realizada em 20 de Julho de 1979.

Arlindo Cruz fará show em Campinas neste fim de semana

Para quem gosta de samba, amanhã o sambista Arlindo Cruz fará o show de lançamento de seu novo CD, “Batuques e Romances”, no Campinas Hall, que fica na cidade de Campinas, São Paulo.

Informações: 
Data: 18/03/2012
Horário do Show: 14h
Ingressos:  Pista – R$ 20,00 (1º Lote) / R$ 30,00 (2º Lote)
Camarote: R$ 50,00 (1º Lote) / R$ 60,00 (2º Lote)
Camarote do Fumaça: R$ 130,00 (2º Lote) - Limitado
Open Bar de cerveja, água, refrigerante, suco, vodka, jurupinga e salgados das 14h às 19h.
Endereço: Rua Armando Strazzacappa, 130 - Jardim Santa Cândida - Campinas/SP
Censura: Idade mínima 14 anos para pista e 18 para o camarote.
Para maiores informações sobre os pontos de venda dos ingressos, ligue para esse telefone: (19) 3256.6850 

sexta-feira, 16 de março de 2012

Repeteco: Eu te amo você

Composta por Kiko Zambianchi, a música foi lançada em 1985 no LP Todas, da já famosa Marina Lima, se tornando rapidamente um sucesso nas rádios do país.
Em 2002, a música, dessa vez na voz de Patrícia Coelho, foi o tema de abertura da novela Marisol, que hoje está sendo reprisada à tarde no SBT, no antigo horário da reprise de Fascinação, que chegou ao fim na semana passada.

quinta-feira, 15 de março de 2012

O verdadeiro "Rei da Voz"


Hoje faz 14 anos que o Brasil perdeu sua voz masculina mais potente, aquele que realmente deveria ser tratado como sua majestade: Tim Maia.
Dono de uma voz marcante e compositor de sucessos inesquecíveis como Vale Tudo, Gostava tanto de Você, Primavera, Não Quero Dinheiro e Azul da Cor do Mar, Tim Maia sempre foi uma figura irreverente e que atraía as atenções por onde passava, mas que nunca ganhou o reconhecimento que de fato merecia. Sinceramente, até hoje eu não me conformo de um país que teve Tim Maia chamar Roberto Carlos de “Rei”, porque de que adianta ser um eterno apaixonado e compor músicas maravilhosas se sua voz não convence?
Entretanto, como Tim Maia sempre foi uma pessoa intensa em tudo o que fazia, cometeu vários excessos que acabaram por obrigá-lo a nos deixar tão cedo, mas o que conforta é saber que apesar de ter partido, um dia ele existiu e deixou tantas músicas que ficarão na nossa memória para sempre.

E agora, para homenagear esse grande nome da Música Popular Brasileira, segue abaixo o vídeo de uma apresentação dele no Programa Livre, na qual ele cantou uma de suas melhores músicas:
 

Dica de Quinta: Pagu, as Ritas e Zélia

Ainda em comemoração ao mês das mulheres, a música de hoje, além de falar sobre as mulheres, também mostra a união de três mulheres que conseguiram se destacar ao longo de suas vidas através da arte a qual tanto se dedicaram.  
Composta em 2003 por duas mulheres importantes na história da música brasileira, Rita Lee e Zélia Duncan, a música é uma clara homenagem a todas as mulheres, enaltecendo suas qualidades e também através da homenagem a uma mulher tão importante quanto às duas cantoras, cujo seu apelido é o título da canção: Pagu.
Para quem não sabe, Patrícia Galvão, conhecida como Pagu por causa do poeta Raul Bopp, tinha hábitos considerados escandalosos demais para a época desde muito jovem, tanto que acabou sendo a primeira mulher presa no Brasil por conta de questões políticas, se tornando uma figura importante não só por isso como também por seu incentivo à cultura.
Desde o início da música, já podemos perceber o quanto ela é feminina através dos versos que deixam claro o quanto a mulher pode ser julgada e se queimar por conta de suas atitudes. Além disso, também são homenageadas as mulheres que sabem fazer um pouco de tudo sem perder a delicadeza  feminina e tentando manter o equilíbrio entre o lado puritana e o atirada que existe dentro de cada uma.
Mas, a parte mais legal da música sem dúvida é o refrão, pois mostra que nem todo mundo pode ser rotulado apenas pela aparência, uma vez que a vida as pessoas é algo tão grande que não pode ser classificado por estereótipos, que na maioria das vezes são extremamente preconceituosos.
Ainda em 2003, Maria Rita, que então estava começando a ganhar projeção como cantora após anos de rejeição à carreira musical por ser filha de quem é, gravou a música em seu primeiro CD, também batizado de Maria Rita.
Curiosamente, ela, que hoje é uma das melhores cantoras da nova geração da MPB, tem esse nome justamente por causa de Rita Lee, pois sua mãe era tão amiga dela que resolveu homenageá-la batizando sua única filha mulher com o nome que costumava chamar a eterna mutante.

A fim de mostrar as diferentes interpretações que essa grande música ganhou, resolvi postar tanto o dueto de Rita e Zélia quanto o vídeo de Maria Rita cantando Pagu:

DVD MTV ao Vivo de Rita Lee, gravado em Agosto de 2004.
 

DVD Samba Meu, gravado em 2008.
 

terça-feira, 13 de março de 2012

Nívea divulga vídeo do Viva Elis

Depois de muita espera, hoje à tarde finalmente pudemos ver o vídeo de lançamento do Projeto Viva Elis, em homenagem aos 30 anos da morte da cantora e também em comemoração aos 100 anos da Nívea, patrocinadora dos eventos (5 shows, exposição itinerante, documentário e lançamento de uma nova biografia).
No vídeo, aparecem os mais variados tipos de mulheres passando os produtos Nívea, enquanto ao fundo ouvimos a voz de Maria Rita cantando um dos maiores sucessos da carreira de sua mãe, Fascinação, da qual eu já falei aqui no blog na coluna Repeteco. (Para ver o post da música Fascinação, clique aqui: http://vitrinempb.blogspot.com/2012/03/repeteco-fascinacao.html)
Agora, só nos resta esperar que venham os shows, pois só por esse vídeo já deu para sentir que serão emocionantes!
Abaixo, o vídeo oficial da campanha:

domingo, 11 de março de 2012

Crítica da Semana


Ontem, ao assistir o final do Som Brasil, fiquei um pouco frustrada apesar de achar muito válida a iniciativa de homenagear grandes nomes da música em um programa como esse.
Uma das coisas que mais me incomodou foi a interpretação da banda Brasov para as músicas da Rita Lee, pois eles estavam parecendo mais um cover dos mamonas assassinas do que cantores homenageando a rainha do rock brasileiro. Eu entendo que ela é uma cantora conhecida por sua irreverência, mas para tudo tem limite.
Além deles, estavam Pitty, Tiê e Layette e os Tremendões cantando outras músicas famosas da cantora, que vão desde Os Mutantes até a fase Roberto de Carvalho, que além de ser seu marido é também o parceiro em várias de suas canções há mais de 30 anos.
De todos que foram ao palco do Som Brasil, aquela que mais se destacou na minha opinião foi a Pitty, pois além de ter um estilo de cantar parecido com o da própria Rita Lee, de quem com certeza deve ser fã, mostrou que realmente sabe cantar músicas consagradas do seu jeito, mas sem fazer feio e nem descaracterizar a música. As interpretações de Orra Meu e Esse Tal de Rock Enrow foram os grandes destaques do programa.
A banda Lafayette e os Tremendões também fez uma boa apresentação, se destacando com a música Baila Comigo. Além dela, também interpretaram Mania de Você e Mamãe Natureza.
Outro destaque da apresentação foi a cantora Tié, que fez uma belíssima interpretação de Desculpe o Auê, mas que deu uma escorregada ao cantar Doce Vampiro, pois essa música está longe de ser lenta e sem tom de ironia como a cantora a interpretou.
Um fato bem estranho foi o fato de músicas famosas como Cor de Rosa Choque, Tititi, Pagu, Todas as Mulheres do Mundo e outras que fizeram tanto sucesso não terem sido interpretadas no especial, porque além de também serem muito famosas, teriam feito bastante sentido para a homenagem do viva ao Dia Internacional da Mulher.
Entretanto, o que mais me incomodou foi o fato de a homenageada não ter aparecido no programa, pois em vez de levá-la para interpretar pelo menos uma música, colocaram apenas um vídeo do Série Grandes Nomes de 1980, sendo que no Som Brasil que homenageou Paulinho da Viola, o próprio interpretou algumas de suas canções.

Viva Exibe Som Brasil: Rita Lee


Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, que foi na última quinta – feira, 8 de março, o Viva resolveu encerrar a programação especial que batizou de “Semana da Mulher” com chave de ouro, homenageando a rainha do rock brasileiro.
Exibido originalmente pela Rede Globo em 28 de maio de 2010, o programa apresentado por Camila Pitanga trouxe para interpretar grandes sucessos de Rita Lee as cantoras Pitty e Tiê e também e os grupos Lafayette e os Tremendões e Brasov.
Entre as músicas apresentadas estão clássicos como Ovelha Negra, Lança Perfume, Chega Mais e outros grandes sucessos desse ícone da Música Popular Brasileira, que anunciou sua aposentadoria dos palcos no início desse ano.
A reprise do Som Brasil em homenagem a Rita Lee vai ao ar daqui a pouco, às 18h, no Viva. 

sábado, 10 de março de 2012

Repeteco: Além do Arco Íris (Over the rainbow)

Com a volta de Chocolate com Pimenta às telas da Rede Globo a partir da semana que vem, eu escolhi para o repeteco de hoje a minha música preferida dessa grande novela: Além do Arco Íris.
Interpretada por Luiza Possi de uma forma tão doce que deixa a letra mais bonita do que já é, essa música é a versão brasileira da famosa “Over The Rainbow”, que foi composta por Harold Arlen e E.Y. Harburg e  que é uma das mais belas músicas do final da década de 30.
Também conhecida como Somewhere over the rainbow, essa música foi escrita especialmente para mostrar o talento de Judy Garland no clássico O Mágico de Oz e que se tornou sua marca registrada, a acompanhando durante o resto de sua vida.
Na novela, ela é tema da protagonista Ana Francisca (Mariana Ximenes), uma moça que apesar de sofrer muitas desilusões e ser muito humilhada, nunca perde a esperança de ser feliz e nem deixa de ser uma boa pessoa, o que combina perfeitamente com a música, pois ela personifica esperanças e sonhos adolescentes sobre um mundo perfeito, no qual predomina o amor e a alegria.
Para quem quiser ouvir Luiza Possi embalando as cenas de Ana Francisca com Além do Arco Íris, a novela Chocolate com Pimenta substituirá Mulheres de Areia a partir de segunda – feira, às 14h30, no Vale a pena ver de novo.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Dica de Quinta: Cor de Rosa Choque

Apesar de hoje ser um dia muito especial para todas as mulheres do mundo, não devemos encarar essa data apenas como dia de dar presentes e homenagens, e sim como um motivo para reflexão, pois porque as mulheres não são tratadas com o mesmo respeito que hoje durante todos os dias do ano?
Sabemos que ao longo da história do mundo, muitas mulheres morreram para que hoje pudéssemos ser “livres”, e ponho essas aspas porque em pleno século XXI, já ficou muito claro que o dia 8 de Março não representa absolutamente nada para muita gente, pois existem mulheres que sofrendo qualquer tipo de abuso ou humilhação.
Enquanto a maioria das mulheres está comemorando o seu Dia Internacional e os homens estão fazendo infinitas declarações de amor por aí, na verdade deveriam era comemorar mais um dia de luta das mulheres, pois do jeito que esta data é colocada, parece mais que esse é o único dia nosso e que os outros dias do ano pertencem aos homens.
Mas, dentre todas as mulheres do mundo que seguraram barras muito mais pesadas do que muitas de nós aguentamos hoje em dia, mulheres como Cleópatra, Joana d’Arc, Pagu, Simone de Beauvoir, Elis Regina, Maysa, Rita Lee, Leila Diniz, Carmen Miranda, Madre Teresa de Calcutá, Chiquinha Gonzaga e várias outras se destacaram por motivos diferentes, mas ainda uma coisa as une: todas lutaram por seus ideais e sofreram como verdadeiras mocinhas de novela real para conseguir o que queriam – e algumas nem conseguiram.
E depois de muito pensar em qual música seria perfeita para dedicar às mulheres nesse dia em que é necessário que cada uma faça um balanço de como vem sendo tratada pela vida, eu finalmente me decidi que a música título desse post é a mais indicada para a ocasião: Cor de Rosa Choque.
Composta por Rita Lee e Roberto de Carvalho e parte do repertório do álbum de mesmo nome em 1982, essa música, ao lado da também clássica Flagra, é considerada uma das músicas mais famosas da Rainha do Rock, sendo um grande marco na história do Rock Brasileiro. 
Desde época de seu lançamento, a música Cor de Rosa Choque se transformou em um símbolo de uma das maiores qualidades da mulher: a forçam, pois fala dos mais diferentes personagens que uma mulher pode ser ao longo de vida, que vão desde Eva (Sim, é a mulher do Adão) à Princesa de contos de fadas.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Site de Maria Rita divulga datas do Viva Elis


Em Janeiro de 2012, completaram-se 30 anos que um grande mito da MPB deixou esse mundo, e para ter certeza de que as gerações mais novas terão a oportunidade de conhecer sua obra de alguma forma, várias homenagens serão feitas através do projeto Viva Elis, que contará com 5 shows, uma exposição, um documentário e o lançamento de uma nova biografia.
Depois de muita espera, os fãs de Maria Rita, - e de Elis também, é claro – já podem se programar para assistir os shows da cantora interpretando músicas do repertório de sua mãe, pois o site oficial da Maria Rita finalmente divulgou as datas oficiais das apresentação e, diferentemente do que havia sido noticiado anteriormente, o show que ocorrerá em São Paulo não será mais o primeiro dos 5 que Maria Rita irá fazer, e sim o quarto o projeto Elis Vive.
E agora, vamos às datas: Porto Alegre, cidade onde Elis nasceu, receberá sua filha no primeiro show do Viva Elis, em 24/03, exatamente 1 semana depois da data em que a cantora faria 67 anos. Recife (01/04), Belo Horizonte (08/04), São Paulo – mais precisamente no Parque do Ibirapuera – em 22/04 e o último, no Rio de Janeiro, em 29/04.  
Entretanto, mesmo a praticamente 15 dias do primeiro show, que será gratuito e terá o patrocínio da Nívea, todos ainda fazem a pergunta que não quer calar: Quais músicas do enorme repertório de Elis Regina a Maria Rita vai escolher para cantar? Façam suas apostas, pois tenho quase certeza que só saberemos a resposta no dia 24/03!

Anúncio dos shows Viva Elis, nos quais Maria Rita interpreta grandes sucessos de sua mãe.

domingo, 4 de março de 2012

Repeteco: Fascinação

Conhecida do grande público através da gravação feita por Elis Regina para seu disco Falso Brilhante, lançado em 1976, a música é até hoje uma das mais conhecidas dessa grande cantora.
Em 1998, Nana Caymmi gravou essa música de forma mais suave do que a versão de Elis, que ficou com um ar melancólico, e a versão de Nana se tornou o tema de abertura de uma novela que também se chamava Fascinação, que foi exibida pelo SBT.
Como acontece em boa parte das novelas, a letra da música de abertura diz muita coisa sobre a trama, e com essa não foi diferente, pois ela fala do amor, dos sonhos construídos em cima desse sentimento que sempre é tão intenso e, claro, do fascínio que se tem pela pessoa amada.
Para quem quiser assistir Fascinação, não perca tempo, pois ela, que está sendo exibida no SBT por volta das 15h30, acaba nesta terça – feira, dia 6 de março e será substituída por outra boa novela, Marisol.

Crítica da Semana: O Oscar que não saiu



Apesar de ter recebido indicações em outros anos para concorrer ao prêmio mais importante do cinema mundial, dessa vez a situação era um pouco diferente, pois por algum motivo – talvez o fato de haver somente dois concorrentes na categoria – estava de alguma maneira deixando os brasileiros mais confiantes.
Um ano após receber sua última indicação ao prêmio, com “Lixo extraordinário” concorrendo como melhor documentário, era realmente enorme a expectativa de que a primeira vitória brasileira seria na 84ª cerimônia do Oscar, realizada no dia 26 de Fevereiro, uma vez que só havia duas músicas concorrendo na categoria.
Entretanto, ainda que grandes produções brasileiras e até mesmo uma atriz com o talento de Fernanda Montenegro já tenham sido indicados para concorrer ao Oscar, ainda não foi dessa vez que um brasileiro inaugurou a lista de vencedores do país no prêmio mais importante da indústria cinematográfica.
Dessa vez, a indicação era na categoria de melhor canção original. Dos cinco compositores da música do filme de animação “Rio”, dois deles são figuras bem conhecidas do povo brasileiro: Sérgio Mendes, consagrado por compor músicas do gênero Bossa Nova e Carlinhos Brown, conhecido até internacionalmente por fazer parte do grupo Timbalada durante boa parte da década de 90 e pelo projeto Tribalistas.
Além dos dois compositores brasileiros, John Powell, Mikael Mutti e Siedah Garrett  são os outros compositores da música “Real in Rio”, que estava disputando o Oscar com “Mano or muppet”. A canção foi interpretada por Jesse Eisenberg, Jamie Foxx, Anne Hathaway, George Lopez e Will.i.am, que dublaram os personagens da animação.
Infelizmente não foi dessa vez que um produto brasileiro se consagrou no Oscar, mas agora só nos resta torcer para que no ano que vem ocorra outra indicação e, quem sabe, enfim saia a tão aguardada vitória brasileira.

Paulinho da Viola é o homenageado do Som Brasil

Apresentado por Camila Pitanga originalmente em 27 de novembro de 2009, o Som Brasil que o Viva reprisará essa semana homenageará Paulinho da Viola.
Com mais de 45 anos de carreira, o carioca Paulo César Batista de Faria, também conhecido como o “Príncipe do Samba”, se tornou um famoso compositor de sambas como Sinal Fechado, Pecado Capital, Coisas do Mundo minha nega, Jurar com lágrimas e várias outras músicas que o consagraram como um dos grandes nomes da música brasileira.
O Som Brasil: Paulinho da Viola, vai ao ar daqui a pouco, às 18h, no Viva.
  

  

sexta-feira, 2 de março de 2012

Na Minha Estante: Mamonas Assassinas

Falar dos Mamonas até hoje é uma coisa muito difícil para mim, pois me lembro claramente de tudo o que aconteceu há 16 anos nessa mesma data. Naquela época, eu tinha só 4 anos e, como muitas pessoas da minha idade e pessoas mais velhas do que eu, adorava ver aqueles caras com roupas engraçadas e cantando músicas que eu não entendia o significado, mas que gostava por causa do jeito deles de cantar, das palhaçadas.
E então, no dia 2 de março de 1996, eu estava vendo televisão quando de repente entrou o Plantão da Globo que eu tenho certeza que eu nunca vou esquecer na minha vida, (inclusive porque desde então eu tenho pavor daquela música horrenda que aparece quando dá o plantão, do plantão e também daquelas câmeras correndo pela tela da TV) dando uma notícia que não dava para acreditar: aqueles rapazes tão divertidos, tão cheios de vida haviam morrido em um trágico acidente de avião.
Eu sei que é estranho uma criança com a idade que eu tinha saber o que era a morte e ficar tão abalada com isso, mas para alguém que teve que aprender a lidar com isso praticamente desde bebê, foi um choque tão violento que eu fui parar até no médico por causa dessa notícia.
Desde então, apesar de nunca ter me esquecido dos Mamonas, eu não consigo ouvir uma só música deles (e nem de falar neles por ter vontade de chorar) por me lembrar daquele plantão e também das coisas horríveis que o Fantástico mostrou.
Há uns quase 4 anos atrás, eu tive a brilhante ideia de assistir o Por Toda Minha Vida que os homenageou, porque eu achava que isso já não me afetaria mais por terem se passado tantos anos, por gostar do programa e também porque queria conhecer a história deles, mas eu estava completamente errada, pois quando eu revi o plantão, eu me lembrei de quando eu o tinha assistido 12 anos antes e chorei como se estivesse recebendo essa notícia em 1996.
Como todos sabem, as principais músicas deles são Pelados em Santos, Robocop Gay e Vira – Vira.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Dica de Quinta: Rio 40 Graus


Em homenagem ao aniversário de 447 anos do Rio de Janeiro, eu escolhi uma música que tem tudo a ver com a Cidade Maravilhosa, cuja fundação se deu em 1 março de 1555: Rio 40 Graus.
Composta Fausto Fawcett, Carlos Laufer e Fernanda Abreu, essa música, considerada a precursora do funk carioca, faz uma clara referência às altas temperaturas que a cidade enfrenta desde sempre, retrata também os mais diferentes cotidianos do “purgatório da beleza e do caos”. Ela foi gravada em 1992 pela própria Fernanda Abreu no segundo CD dela, Sla 2 Be Sample.
E agora, vamos as curiosidades: Em determinados momentos da música, Rio 40 Graus faz referência a duas músicas: Soy Loco Por Ti América, de Gilberto Gil e a clássica Cidade Maravilhosa, canção de André Filho, cujo título é simplesmente a forma mais usada para se referir à Cidade do Rio de Janeiro.